OPINIÃO

Procuramos e achamos coisas boas em 2016

26/12/2016 02:17 -02 | Atualizado 26/12/2016 02:17 -02

Vitória de Donald Trump nos Estados Unidos, acidente com a Chapecoense, manobras no Congresso para driblar a Operação Lava Jato... 2016 deixou muita gente desesperançosa, mas como tudo tem um bright side, aqui vão alguns fatos que não queremos esquecer deste ano:

Dilma recebe Suplicy

Depois de 35 tentativas, o ex-senador Eduardo Suplicy (PT) foi finalmente recebido por Dilma Rousseff para falar do Renda Básica de Cidadania, sua proposta para que todo brasileiro receba um rendimento mínimo.

Mesmo a visita tendo sido em junho, período em que a petista já estava afastada da Presidência, Suplicy comemorou. Na reunião, ele entregou as mais de 30 cartas em que pedia o encontro.

Maranhão e o impeachment

Aproveitando o afastamento de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da Presidência da Câmara em maio, o primeiro vice-presidente da Casa, Waldir Maranhão (PP-MA) causou polêmica nos primeiros dias e anulou a sessão plenária em que foi aprovada a admissibilidade do impeachment de Dilma Rousseff.

Ele convocou uma coletiva de imprensa no mesmo dia, mas não explicou o motivo da anulação. Em vez disso, o deputado fez um relato pessoal sobre a família humilde e a trajetória como veterinário.

No mesmo dia, ele revogou a decisão de cancelar o impeachment.

DJ Obama

Nem só de política vive Barack Obama. Em agosto, ele liberou no Spotify as "playlists de verão", uma para o dia e outra para a noite.

Tem Nina Simone, Aretha Franklin, Corinne Bailey Rae, Billie Holiday e até Caetano Veloso, tudo num climinha leve.

Gilmore back

Nove anos após o fim de Gilmore Girls, Lorelay e Rory voltaram em quatro episódios do revival Um Ano para Recordar.

Teve gente indignada com o final, debatendo "as quatro últimas palavras", discutindo se o melhor namorado de Rory foi Dean, Jess ou Logan ou o feminismo na série, mas o importante mesmo foi matar um pouquinho das saudades da dupla.

Janaina comenta

Uma dos autoras do pedido de impeachment, Janaina Paschoal mostrou que seu ativismo não acabou com a saída de Dilma Rousseff do Planalto.

No Twitter, não falou assunto para a jurista. Ela chegou a alertar sobre uma suposta negociação para uma base militar russa na vizinha Venezuela e uma possível invasão do Brasil.

Também criticou o consumo de bebida alcóolica por jovens após uma pesquisa divulgada pelo IBGE no fim de agosto a respeito da juventude brasileira.

Gretchen rainha

2016 mostrou também que nem só de Conga Conga Conga e de uma lista de casamentos se faz o sucesso de Gretchen.

A cantora foi estrela de uma avalanche de memes, com direito a uma categoria astrológica.

Direita transante

Já o Bonde do Rolê surpreendeu todo mundo em outubro, após Pedro D'Eyrot, um dos integrantes da banda curitibana, revelar que é também Pedro Ferreira, um dos fundadores do Movimento Brasil Livre, responsável por atos pelo impeachment de Dilma Rousseff.

Em entrevista à Folha de São Paulo, Pedro assumiu pela primeira vez a dupla jornada e disse que ajudou a criar o MBL para "revolucionar o liberalismo" e que colegas da banda têm ressalvas ao seu estilo "direita transante".

Olimpíada

No meio de todas as crises de 2016, outro respiro foram os Jogos Olímpicos no Rio. O que não faltaram foram histórias de luta e superação em meio às medalhas. Isso sem contar todo o carisma e talento das meninas do futebol.

Só a abertura já valeu o evento, com direito a Ludmilla, Karol Conká e Elza Soares mostrando o poder da mulher negra.

Por favor, me esqueça

E o tanto de embates no Supremo Tribunal Federal (STF) deixou para a gente a lição de que o melhor jeito de encerrar uma discussão é com "Vossa Excelência, por favor, me esqueça".

briga

A confusão em novembro começou quando Ricardo Lewandowski questionou um pedido de vista feito por Gilmar Mendes em um julgamento. Mendes rebateu criticando a atuação do ministro na condução do impechment.

Lewandowski fez a tréplica: "Vossa Excelência está faltando com o decoro não é de hoje. Eu repilo qualquer... Vossa Excelência, por favor, me esqueça".

Aquarius

O filme de Kleber Mendonça Filho mostrou que é cool estar fora do Oscar, em meio a polêmicas sobre a crítica de atores ao impeachment, classificação indicativa e a influência política na escolha da premiação.

O embate sobre a permanência de Clara no prédio a ser demolido foi só um pano de fundo para falar de política, cidades, pessoas, escolhas, sexo, amor, resistência e ouvir umas boas músicas brasileiras.

Carreta salvadora

E para fechar o ano, uma história do sul de Minas deu uma esperançazinha no País. Animadores de um trenzinho no estilo da Carreta Furacão salvaram uma família em uma casa em chamas.

Os herois com roupa de Flash e Homem-Aranha estavam no meio de um passeio quando viram o fogo e foram dar uma força.

LEIA TAMBÉM

- 2016: O ano em que (quase) tudo aconteceu na política brasileira

- 6 avanços do movimento LGBT brasileiro que marcaram 2016

Hábitos positivos para cultivar