OPINIÃO

'Nosso furacão tu és sempre um vencedor'

29/11/2016 19:16 BRST | Atualizado 29/11/2016 19:16 BRST
NELSON ALMEIDA via Getty Images
People pay tribute to the players of Brazilian team Chapecoense Real who were killed in a plane accident in the Colombian mountains, at the club's Arena Conda stadium in Chapeco, in the southern Brazilian state of Santa Catarina, on November 29, 2016. Players of the Chapecoense were among 81 people on board the doomed flight that crashed into mountains in northwestern Colombia, in which officials said just six people were thought to have survived, including three of the players. Chapecoense had risen from obscurity to make it to the Copa Sudamericana finals scheduled for Wednesday against Atletico Nacional of Colombia. / AFP / Nelson ALMEIDA (Photo credit should read NELSON ALMEIDA/AFP/Getty Images)

Não há palavras ou idioma que expliquem a tragédia ocorrida com a delegação da Chapecoense e demais passageiros do fatídico voo 2933 da LaMia.

Diante da dor do torcedor que sonhava com um título inédito para um clube do oeste catarinense; ou de familiares que vibravam com ascensão profissional de seus maridos, pais, filhos, netos; só nos resta dar o ombro em solidariedade e chorarmos juntos.

O futebol não é apenas um esporte com pessoas correndo atrás de uma bola. Ele é vida e esperança para uma imensidão de seres humanos neste planeta. Por isso, diante da catástrofe ocorrida na Colômbia, todos nós vestimos o manto verde da Chape.

Clubes milionários ou falidos, de Ligas Europeias ou do Brasil à fora esqueceram suas estratégias de marketing ou comunicação, largaram seus planejamentos financeiro ou logístico, abandonaram a rivalidade, para demonstrar aquilo que muitas vezes falta no próprio futebol: respeito e compaixão.

Tragédias são assim. Um momento de reflexão. Uma pausa na insanidade em quem vivemos. Uma oportunidade para olharmos dentro de nós, afastarmos aquilo que é desnecessário e colocarmos novamente a vida como prioridade.

Pois ninguém sabe o amanhã e cada um tem a sua crença sobre a morte.

Você talvez acreditava que era o destino da Chapecoense estar na final da Copa Sul-Americana. Eu observava um clube que acima de tudo havia galado seu lugar na elite do futebol brasileiro e sul-americano por méritos dentro e fora de campo.

Mas e agora?

Nesse instante, nada disso importa.

"Nas alegrias e nas horas mais difíceis

Nosso furacão tu és sempre um vencedor"

LEIA MAIS:

- A babaquice de apagar a Chama Olímpica

- O ódio olímpico do brasileiro tem cura?

Também no HuffPost Brasil:

A trajetória da Chapecoense na Copa Sul-Americana