OPINIÃO

Pra lembrar

09/07/2014 10:01 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:36 -02
Buda Mendes via Getty Images
BELO HORIZONTE, BRAZIL - JULY 08: A dejected Brazil fan holding a Neymar mask reacts during the 2014 FIFA World Cup Brazil Semi Final match between Brazil and Germany at Estadio Mineirao on July 8, 2014 in Belo Horizonte, Brazil. (Photo by Buda Mendes/Getty Images)

Poderia ser um dia a ser esquecido, tanto para o futebol e principalmente no País do Futebol, mas é pra lembrar e lembrar sempre.

Não torci contra a seleção, mas faço parte de um grande grupo de pessoas que, por amar o futebol, enxerga além da paixão pelo esporte.

Eu com toda a ignorância que venha a me pertencer, como ser humano inacabado e não detentora da verdade, vi uma seleção sem brilho coletivo, o clima bom não foi sinônimo de liga. Pareceu-me uma seleção em que não se conhecia o potencial um do outro, ou na qual não se confiava no potencial do companheiro.

Desde o primeiro jogo, foi perceptível o quanto fez falta um meia de armação, "o cara" que pensa o jogo e dita o que ser feito e como ser feito. Fez falta um R10. Sim! Ronaldinho teria muito que fazer nessa seleção e faria. E ele queria estar lá pra fazer. Faltou um Kaká. Faltou nova chance aos que tem muita experiência, aos que tem bagagem.

Faltou-nos ainda um camisa 9 e vou longe: acredito que nos gramados brasileiros tínhamos jogadores que mereciam vestir a amarelinha e que seriam surpresa desagradável aos adversários.

Foi preciso uma vexatória derrota para que se confirmasse tudo o que foi sentido nos outros 5 jogos. Queria muito que essa derrota servisse não só pra ferir o orgulho do povo brasileiro, que abraçou a seleção, mesmo com um cenário tão contrário fora das quatro linhas. Queria que servisse para uma renovação, para a verdadeira ousadia e alegria, e que se voltassem os olhos para os gramados dessas terras e valorizassem em maioria não os jogadores que valem as altas cifras, mas principalmente aqueles que vemos jogar com maior frequência.

A seleção que já foi do povo e virou a seleção do Felipão - ou da federação nacional se preferirem - é a seleção do comandante que não trata com respeito a imprensa, que escolhe a dedo a quem pedir opinião, porque todo o resto não importa.

A seleção que foi montada e treinada pra jogar em cima de um jogador, que perdeu N oportunidades de jogadas de sucesso, porque insistia em lances somente nesse jogador, que em tantos e tantos lances ignorou outros jogadores em campo. Perdemos não por não ter o nosso jogador principal, mas por "jogar" só pra ele e com ele.

A seleção que teve mais medo que garra, que se abateu antes da derrota e que na derrota entrou em estado "mumífico". Perdemos pra truculência, pra teimosia, pra falta de alma. Perdemos porque não era a seleção feita para o povo brasileiro.

Ao final, essa Copa não vai ter a alegria do nosso povo, por ver nossa seleção em campo. A estrela que tinha que brilhar, que Deus aponta lá do céu, dessa vez não é canarinha. Mas não é pra esquecer, é pra lembrar pra não acontecer de novo.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para ver as atualizações mais rápido ainda, clique aqui.


MAIS COPA NO BRASIL POST:

Brasil x Alemanha: lances do jogo