OPINIÃO

Obama diz que estamos no caminho para vencer o HIV

03/02/2016 17:21 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02
shutterstock

Em seu último discurso do Estado da União para o Congresso americano nesta última terça-feira, 12 de janeiro de 2016, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que estamos no caminho para vencer o HIV/aids.

"Liderança significa uma aplicação sábia do poder militar, de mobilizar o mundo por causas que são de bem. Significa enxergar a nossa ajuda externa como parte de nossa segurança nacional, e não como caridade. Quando lideramos cerca de 200 nações ao acordo mais ambicioso da história para combater a mudança climática, ajudamos os países mais vulneráveis, mas também protegemos os nossos filhos. Quando ajudamos a Ucrânia a defender sua democracia, ou a Colômbia resolver uma guerra de décadas, fortalecemos a ordem internacional da qual dependemos. Quando ajudamos os países africanos a alimentar seus povos e a cuidar dos doentes, impedimos que a próxima pandemia chegue à nossa terra. Neste exato momento, estamos no caminho certo para acabar com o calamidade do HIV/aids, e nós tivemos a capacidade de fazer a mesma coisa com a malária — algo que eu vou pressionar o Congresso para financiar este ano. Isso é força. Isso é liderança. E esse tipo de liderança depende do nosso exemplo."

Quando Obama enumerou as propostas para este ano, incluiu temas como imigração, violência com armas e salário mínimo, mas também acrescentou que é preciso "personalizar tratamentos médicos para os pacientes". Uma apresentação no site da Casa Branca chama a isso de "medicina de precisão", a qual descreve, em parte, como:

"O futuro da medicina de precisão permitirá que os profissionais de saúde adequem suas estratégias de tratamento e prevenção às características únicas de cada pessoa, incluindo a sua sequência de genoma, composição de microbioma, histórico de saúde, estilo de vida e dieta. Seu sucesso exigirá que os dados de saúde sejam portáteis, que possam ser facilmente compartilhados entre os profissionais de saúde, pesquisadores e, ainda mais importante, entre pacientes e participantes de pesquisas."

Como bem destacou o jornalista americano Matt Baume, o discurso de Obama também celebrou os avanços nas questões LGBT nos Estados Unidos; incluindo, por exemplo, o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

LEIA MAIS:

- O que aprendemos em 2015?

- HIV: meter medo ou encorajar as pessoas a fazer o teste?

Também no HuffPost Brasil:

Príncipes da Disney na prevenção da aids

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


ETC: