OPINIÃO

Marco Pereira e Toninho Ferragutti juntos em disco marcante

20/06/2014 15:29 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02
Gal Oppido

Comum de Dois é o nome do disco que reúne o violonista Marco Pereira e o acordeonista Toninho Ferragutti, dois grandes e experientes nomes da nossa música e com carreiras no mínimo respeitáveis, que se juntaram para brindar os nossos ouvidos com composições de alto nível.

O trabalho surgiu de maneira independente, quando os dois músicos foram convidados para a 31ª Oficina de Música de Curitiba. Mais adiante os dois conseguiram fundos do edital ProAC 2013 para a produção e gravação do disco que agora é distribuído no Brasil e no exterior pela Borandá.

No repertório, músicas próprias, adaptadas na medida certa de um instrumento para o outro; uma versão de Mulher Rendeira (Zé do Norte) e uma faixa que reúne composições de Dorival Caymmi e Ernesto Nazareth. Completam o disco Amigo Léo, Flor das águas e Bate-coxa, compostas por Marco, e Flamenta, Victoria, Nova e Sanfonema, compostas por Toninho. Todas elas exploram bem o universo particular de cada um dos dois instrumentos, o que permite uma rica exploração tímbrica e melódica com sofisticação, leveza e muita sensibilidade. Tudo nesse disco transborda finesse e, apesar das brincadeiras sobre qual instrumento é o melhor, é notável a capacidade que os dois músicos possuem de se doar, fazendo o melhor para criarem uma dinâmica capaz de dar voz aos dois instrumentos em conjunto, valorizando também o que cada um tem de melhor, de mais bonito e particular.

Como pontua o próprio Marco Pereira, o acordeão e o violão são instrumentos que sempre estiveram nas mãos dos brasileiros e que são símbolos maiores de uma identidade musical. Instrumentos muito completos e de timbres que funcionam muito bem juntos. Completos como os dois verdadeiros mestres que os manuseiam. "O Toninho foi muito feliz na hora de batizar o disco. Cada um traz uma bagagem própria mas, na hora em que tocamos juntos, tiramos da mala aquilo que é comum dos dois", define Marco.

O resultado é simplesmente deslumbrante. A riqueza técnica e lírica de Marco e Toninho fazem a cama perfeita para que os sentidos do ouvinte possam repousar e gozar de uma experiência musical única. A maestria no trato com os volumes, com os desenhos harmônicos e com a interação entre os instrumentos prova a competência artística dos dois gigantes que são Marco Pereira e Toninho Ferragutti.

Comum de Dois não é só um disco para os admiradores do violão e do acordeão, é para quem gosta de música feita com a cabeça e com o coração.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.