OPINIÃO

Uma tarde triste

09/07/2014 10:17 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:36 -02

De volta à triste realidade do nosso Brasil, atolado em problemas, que pensava que poderia ser feliz conquistando mais uma Copa do Mundo.

Como disse o brioso David Luiz, a seleção só queria dar um pouco de alegria a este povo sofrido, que enfrenta tantos problemas...agora só podemos pedir desculpas.

O sonho do hexa foi adiado e não cabe a nós fazer caças às bruxas, procurando culpados pela derrota, pois foi uma tarde ruim para os nossos jogadores e comissão técnica, assim como foi uma tarde de rara felicidade e sorte para os alemães.

Nem eles acreditavam no placar, no final da partida. Nem nós, esmagados

em nossos peitos a cada gol fácil dos alemães - sem culpa alguma do nosso bravo goleiro Júlio César, mas com falhas gritantes de marcação de toda a defesa e dos nossos meio-campistas. Além disso, jogamos sem ataque e o Oscar, pela sua garra e dedicação, foi premiado com o nosso gol de honra.

Honra, sim, porque os brasileiros mesmo apanhando de 5 tentaram reagir no início do segundo tempo, perdendo pelo menos 2 gols incríveis. Mas o dia era da Alemanha. E vieram o sexto e o sétimo gols, arrasando os brasileiros como nunca nossa seleção havia sido arrasada.

Goleada triste, trágica e histórica, sim. Mas o pior de tudo foi ver as crianças chorando, desesperadas com o massacre. Elas tinham a mais pura fé no Brasil, sem perceber que do outro lado havia um time melhor. Para elas, as crianças, só o Brasil existia. Era o super-herói encarnado em cada um dos nossos jogadores, que, infelizmente, se revelaram mortais e passíveis de erros e de decisões infelizes. faz parte do jogo.

Não é mais hora de chorar. É hora de aprender a ser humilde e de compreender, crianças, jovens e adultos, que futebol é apenas um esporte e que a vida continua amanhã cedo, como sempre continua até o fim da vida de cada um.

E mais: que a nossa vida é muito mais do que uma partida de futebol. Que a nossa vida é feita pelas decisões que tomamos todos os dias, todas as horas, todos os minutos.

Assim como a seleção vai ter que melhorar, a nossa vida, como brasileiros, tem que melhorar e todos sabem bem do que estou falando. Temos outra Copa, em outubro - e esta é do Brasil.

Em jogo estarão os nossos destinos, como pátria, como nação, como povo. Que os mesmos sentimentos de ser brasileiro, com muito orgulho e muito amor, invadam nossos corações em outubro e o nosso futuro.

Está na hora do povo brasileiro poder sentir orgulho do nosso país, do nosso passado, do nosso presente e do nosso futuro, colocando em campo a nossa vontade de um Brasil melhor, mais justo, mais próspero, sem corrupção e incompetência (ou pelo menos com bem menos). Nunca seremos um país perfeito. Isso não existe. Sempre haverá problemas, dificuldades, insegurança e desafios a serem vencidos.

O que não podemos mais é ser goleados, sem capacidade de reagir, como vimos nosso Brasil sendo atropelado nesta tarde. Força, ânimo, determinação e coragem nos farão vencer de novo, em breve.

Das derrotas tiramos nossas grandes lições, inclusive daquelas do mundo do esporte. Muitas vezes aprendemos muito mais nas derrotas do que nas vitórias, e crescemos, como pessoas, como atletas, e como um povo.

Esta foi só uma tarde triste, diante das alegrias que pode nos reservará o futuro, se assim nós desejarmos. E é o que nos resta fazer.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para ver as atualizações mais rápido ainda, clique aqui.

ETC:mcp