OPINIÃO

Este é o padrão Fifa de qualidade?

17/06/2014 15:12 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02
João José Werzbitzki

Arena da Baixada, em Curitiba. Linda, imponente, mas com muito ainda por fazer.

Em 1974, assisti a uma eliminatória na Copa da Alemanha, em Frankfurt, como repórter freelancer da Placar. Aquilo sim era a perfeição. Just perfect, in all details. Padrão alemão de qualidade.

Na Arena da Baixada, em Curitiba, falta muito para se fazer e na organização da Fifa idem, para alcançar níveis de outras Copas já realizadas - inclusive na da África do Sul, que fui conhecer um ano depois (que estrutura, que atendimento, que cordialidade!).

Pessoas com dificuldades locomotoras e cadeirantes são largadas dos ônibus especiais (do estacionamento privativo) há 2 quadras mais a praça Afonso Botelho, para chegar até a Arena, onde há mais escadarias do que rampas.

Impossível ir empurrando cadeiras, ou caminhar tanto, para quem tem problemas de mobilidade, como eu, temporariamente, tenho. Podiam parar os ônibus na esquina da praça, mas pararam três quadras de caminhada depois. Salvou a boa vontade e o o serviço da Liberty Seguros, que, com carrinhos de golfe (poucos), se esforçou para atender a todos que precisavam de apoio.

Entrar na Arena sem a ajuda dos voluntários da Fifa é impossível para quem tem problemas de locomoção. Imaginem para quem foi com crianças pequenas!

Prioridades existem, mas as caminhadas são longas, a confusão com a multidão grande e os elevadores... onde estavam? Alguns que funcionam, escondidos para não serem muito usados, atrás de portas de madeirame preto, com seguranças - e nem todos os voluntários da Fifa sabiam onde eles estavam, nem se funcionavam.

Quando me venderam os ingressos especiais, na Fifa, me disseram que "os ônibus especiais para cadeirantes e pessoas com mobilidade prejudicada iram parar embaixo da Arena, nas portas portas do elevadores". Mentira deslavada. Não aconteceu para ninguém, só para as autoridades e convidados - que não pagaram um centavo sequer pelos seus ingressos.

Lá dentro, o pessoal da Fifa me informou que 2/3 dos banheiros não funcionavam antes do jogo. Depois, me disseram que vários alagaram, antes do final do jogo. Imundos, fedidos - culpa também de torcedores sem educação e respeito pelo próximo. Mas já estavam muito sujos antes mesmo do jogo começar (o que não era padrão na antiga Arena do Atlético).

Lojas e lanchonetes? 90% fechadas, só algumas abertas e com preços de boite. R$13 um copo de cerveja, R$10 o de refrigerante... Sanduíches caros, serviços ruins e várias lojas ficaram sem comida antes do final do evento. Onde estavam as lojas com souvenirs? Não devem estar querendo, nem precisando, vender. Só na praça, lá fora.

Muito pó de cal, muita gente de calça escura com bundas brancas, por culpa de uma limpeza pouco esmerada. Pessoas com renite sofreram um bocado.

Há degraus onde não poderiam existir (em passagens para multidões, no amaplo corredor atrás das cadeiras, no piso superior). Várias armadilhas para cadeirantes, idosos e pessoas com dificuldades para caminhar - a serem corrigidas, pelo clube.

Sistema de som ruim e falho, rasgando caixas, irritante, publicidade do intervalo com áudio no mínimo (ninguém conseguia ouvir as mensagens que não custaram barato). Informações absolutamente desnecessárias, como um longo texto sobre a paz, antes da partida iniciar até o acréscimo dado pelo árbitro e o placar da partida depois do primeiro e do segundo tempo.

Nos telões, sempre em plano muito aberto, parecia que formigas corriam no gramado e era impossível ver o tempo de jogo e o score (placar da partida). Replays raros. Muito raros, num jogo com poucos lances agudos.

Confesso que, como torcedor e como jornalista, esperava mais da Fifa e do Atlético.

Vamos ver se melhoram nos próximos jogos em acessibilidade, limpeza, funcionamento e higiene dos banheiros (os para deficientes estavam trancados, vale lembrar, e escondidos também atrás de tapumes), além do som, do atendimento na loja de souvenirs na saída da Arena e dentro dela... E em tudo que relatei.

Ah! Além disso, celulares e smartphones funcionaram mal. Postei 10 fotos, só uma se salvou (chegaram no meu Facebook à meia-noite - mais de 8 horas depois). Tentei fazer 6 ligações, nenhuma completou. As compras deveriam ser pagas com o cartão Visa, que não funcionava por falta de telefonia. Isso é tecnologia de ponta, do governo, que prometeu 4G em todas as cidades-sede da Copa?

Quanto ao jogo, péssimo. O pior que vi na minha vida. Pelada de barrigudos bêbados é melhor. Valeu a alegria e o bom humor, o respeito e as cores da torcida. Todos ficaram em pé, em respeito, durante os hinos nacionais.

No final, como não poderia deixar de ser, mandaram a Dilma tomar no fiofó. A torcida toda, menos os estrangeiros. Merecido.

jj

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.