OPINIÃO

'O Regresso' é um filme para quem gosta MESMO de cinema

15/02/2016 13:30 -02 | Atualizado 26/01/2017 22:31 -02

*ATENÇÃO: Este texto contém spoilers

Àqueles que estão pensando em ver 'O Regresso' por suas 12 indicações ao Oscar ou, quem sabe, para conferir a atuação de Leonardo Di Caprio, vale um lembrete: ele tem 2 horas e 36 minutos de duração e a fotografia -- deslumbrante -- de Emmanuel Lubezki não é para todos os gostos. O filme também não. Fui ver uma semana depois da estreia e meia hora antes do fim uma boa dezena de pessoas já tinha deixado a sala.

the revenant

Dito isso, é provavelmente o melhor do ano.

Se você tiver as expectativas certas. E gostar muito de cinema.

E esses são os motivos para você assistir:

O enredo é cristalino.

Nas florestas norte-americanas selvagens do início do século 19, uma equipe de caçadores entra em conflito com uma tribo indígena, o que os obriga a mudar a rota da expedição. Logo depois, o explorador e guia da companhia Hugh Glass é gravemente ferido em um combate corpo a corpo com um urso. Ele é então deixado à própria sorte pelos colegas, mas sobrevive. A saga começou.

Tem mais de um McGuffin.

Usado à exaustão por Alfred Hitchcock (e inclusive batizado por ele), o recurso está presente em quase todo tipo de narrativa. É aquilo que, literalmente, faz a história andar para a frente (perdoem o pleonasmo). Em 'O Regresso' eles são claros. Há inclusive um McGuffin especial para o espectador, evidenciado pela lente de Iñarritu: o cantil d'água (preste atenção a ele).

the ravenant

Tom Hardy e Leo Di Caprio estão maravilhosos.

Sou fã incondicional de Tom Hardy, e aqui ele está deliciosamente detestável. Grande camaleão das telonas, em 2015 ele foi uma verdadeira locomotiva, participando de nada mais nada menos do que cinco títulos. O destaque especial vai para MadMax que, também candidato a Melhor Filme, deve revolucionar o jeito de fazer cinema.

Leonardo Di Caprio está demais. Sentimos com ele o gosto de carne crua na boca depois de dias sem comer direito, os gritos entalados na garganta recém (e mal) costurada, os engasgos quando tem sede ou fome e o corpo não responde à vontade. Sonhamos e respiramos com ele, graças (também) à habilidade de Iñarritu. Importante, no entanto, frisar que a performance não traz qualquer semelhança com a sua carismática personagem em O Lobo de Wall Street. Fãs avisados!

A luz é natural e a filmagem realista.

As filmagens levaram cerca de nove meses pois o diretor optou por não usar luz artificial, e o resultado é de tirar o fôlego.

the ravenant

Tem os 156 minutos mais rápidos do cinema.

Sou da opinião de que livros devem ter entre 250 e 300 páginas e filmes, no máximo, 2 horas. A não ser que sejam obras-primas. É verdade que 'O Regresso' tem todos os elementos para tal, mas é uma verdadeira façanha não fazer sentir as mais de 2 horas e meia, num cenário tomado pela neve, quase sem nenhum diálogo: o protagonista diz meia dúzia de frases, e a maioria delas em dialeto indígena. Se o filme poderia ter meia hora a menos? Sinceramente, não sei. Mas acho que com esse resultado magistral, devemos pelo menos suspeitar que Iñarritu sabia o que estava fazendo.

LEIA MAIS:

- 'Steve Jobs' é um retrato terrível e fascinante do criador da Apple

- Quem gosta de livros sempre gostará de livros

Também no HuffPost Brasil:

11 filmes previstos para 2016 com protagonistas negros

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: