OPINIÃO

4 palavras que todos os pais de meninas precisam ouvir

05/09/2014 20:12 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02
jupiterimages

A primeira é esta...

"Oh, cara, você vai ter uma filha? Puxa, você está em dificuldades!"

E depois tudo isto...

"Oh, espere até que elas comecem a engatinhar!"

"Oh, espere até que elas comecem a andar!"

"Oh, espere até elas terem 2 anos."

"Oh, espere até que elas comecem a falar!"

"Oh, espere até que elas comecem a responder!"

"Oh, cara, você vai ter mais uma menina? Cara, você está em maus lençóis!"

"Oh, espere até elas lhe pedirem um celular!"

"Oh, espere até que elas revirem os olhos!"

"Oh, espere até que elas gostem de meninos!"

"Oh, espere até a adolescência!"

"Oh, espere até o colegial/a faculdade/a universidade!"

"Oh, espere até que elas queiram se casar!"

Aqui está um segredinho, amigos, aquele que eles não lhe contam no bar do clube ou nas aulas Mamãe e Eu a que você é convidado: você pode ir em frente e esquecer toda aquela porcaria. Toda.

Eu tenho uma simples mensagem de quatro palavras para todos os pais de meninas, especialmente os caras que estão começando esta jornada, os caras que estão recebendo garotas recém-nascidas em suas vidas. É uma mensagem que decidi dizer em voz alta para os pais que eu vejo com meninas muito pequenas ao seu lado -- e se você me conhece você sabe que falar com estranhos sobre qualquer coisa remotamente relacionada a ser pai (ou mesmo sobre qualquer coisa) não é um ponto forte meu. Mas eu saltei essa barreira pessoal do introvertido porque é crucial que os pais recebam um contrapeso para equilibrar toda a besteira que os machões falam que eles vão ouvir em relação a suas filhas e seu papel como pai de meninas: "a coisa só melhora".

Sim, é desafiador. Claro, ser pai nunca são bolinhos perfeitos e arco-íris dignos de fotos, mas por que você desejaria isso, de qualquer maneira? Que tédio colossal ter tudo escovado e desinfetado, colheres de prata e pacotes de fotos com sorrisos fingidos. O desafio é bom! Entrar em situações desafiadoras nos faz pensar, evoluir, crescer, mudar, melhorar -- e nos ajuda a encontrar novas maneiras de amar as pessoas que já adoramos. Sim, sua preciosa princesinha um dia vai engatinhar, andar, falar, responder, desejar coisas caras, gostar de meninos e/ou meninas, entrar em seus estranhos anos de adolescência, ter uma desilusão, desiludir alguns, entrar no colégio e talvez ir para a faculdade. Isso tudo é absolutamente verdade, mas não há nada no calendário da sua filha que você precise temer. Nada. A única coisa que vale a pena temer como pai de uma menina é não estar lá para compartilhar suas experiências.

Como pai, você pode ser um joelho seguro para ela se apoiar quando estiver aprendendo a andar; ser um exemplo de calma diante da adversidade quando ela testar seus limites como bebê; difundir a tensão com olhos engraçados em reação a seu revirar de olhos; ensiná-la a ser uma boa cidadã digital na mídia social com seu novo telefone; abraçá-la sem dizer nada quando ela sofrer sua primeira desilusão amorosa; saber que mesmo que você seja um "conservador" por natureza há momentos na vida dela em que vai precisar chorar no seu ombro ou gritar e saber que tudo o que é necessário é que você esteja presente nesses momentos, viver a vida não através dela, mas junto dela como seu pai, mentor, confidente, conselheiro, consolador, amigo e novamente pai.

Eu preciso que vocês escutem isso e acreditem, porque eu sei que é verdade: "a coisa só melhora".

As conversas melhoram. As piadas melhoram. Os abraços melhoram. Os risos melhoram. As saídas noturnas melhoram. As manhãs de sábado melhoram. Os shows melhoram. O amor melhora. E se fortalece. Tudo melhora.

Por isso, na próxima vez em que algum idiota o advertir sobre qualquer catástrofe iminente que ele insiste que lhe caberá como pai de uma menina, e fizer alguma piada horrível sobre precisar de uma arma para protegê-la, ignore-o e saiba que a coisa só melhora.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.


MAIS FILHOS NO BRASIL POST:

Jeito francês de educar os filhos