OPINIÃO

O que significa quando digo 'sofro de ansiedade'

01/03/2016 18:17 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:34 -02
Fabrice LEROUGE via Getty Images
Rear view of a woman with her mother

Para a maioria das pessoas com quem converso, quando conto que tenho transtorno de ansiedade, elas concordam balançando a cabeça e dizendo que vai ficar tudo bem.

Quando digo: "Desculpe, estou tendo um dia muito ruim por causa da ansiedade, podemos remarcar?", elas sorriem e dizem que não há com o que se preocupar, é só eu sair da cama para ver que tudo está bem.

Quando não quero ir para o bar porque sei que o álcool só piora minhas tendências de ansiedade, ouço: "Você está bem. Vai ser divertido. Vamos relaxar!"

Enquanto isso, meu coração bate tão rápido que tenho medo de que as pessoas percebam. Mas ele não está acelerado. Minha cabeça não está fora do lugar. Não estou vesga, como a visão embaralhada me faz crer. Meus joelhos não estão tremendo, não vou cair.

Meu rosto não está pálido e meus olhos não estão vermelhos. Não. Por fora, estou normal. Minhas roupas combinam. Estou acordada, viva e respirando normalmente. Então não tem nada errado, certo?

Errado.

Esse é o negócio dos transtornos de ansiedade. Tudo parece bem. Nossas pernas não estão quebradas. Nossas línguas não foram arrancadas. Não estamos cortados, nem machucados. Porque a ansiedade não é um problema físico. Mas isso não quer dizer que seja menos debilitante.

A ansiedade é um transtorno complexo e não tem nada a ver com simplesmente sorrir e acenar com a cabeça. Você nos dizendo que está tudo bem não só não ajuda como magoa ainda mais, porque ninguém parece levar o problema a sério.

Eis algumas coisas que eu gostaria que você soubesse sobre a ansiedade.

Ela vem em ondas.

A ansiedade é um bicho estranho. Ela deixa eu me divertir por uns dias, e fico pensando: "Humm, finalmente ela finalmente me deixou em paz". Aí, um tempo depois, acordo e não consigo me concentrar de jeito nenhum.

O monstro apareceu de novo e não tem nada que eu possa fazer. Acordei com ele sentado no meu peito, sorrindo como se estivesse lhe dando as boas-vindas.

Ela pode ser completamente paralisante.

Não sei se se aplica a todo mundo, mas sei que é uma parte muito importante do meu transtorno de ansiedade. Quando ela vem, fico congelada. Posso levantar e enfrentar o dia, mas meu cérebro não está presente.

Minha cabeça é refém de um "demônio" que mora dentro de mim. Só consigo pensar na minha incapacidade de pensar, respirar ou sentir. Parece que meu cérebro está literalmente paralisado, como se estivesse preso numa espécie de limbo, sem portas nem janelas nem saídas.

A pior parte? Estou completamente sozinha nesse lugar.

Ela pode acabar com relacionamentos.

Não só os românticos, mas relacionamentos de qualquer tipo. Amizades e relacionamentos podem ser destruídos por esse problema. Já passei por ambos os casos, e é a pior perda possível. Por quê? Porque não é por nossa culpa.

É um transtorno que, sem os cuidados apropriados, pode explodir com o tempo. No fim das contas, é um fardo muito pesado para ser carregado pelos outros. Se eles se aproximarem demais de você para sentir de perto os efeitos da sua ansiedade, elas podem romper os laços para preservar sua própria sanidade mental. E isso machuca demais.

Mas não posso culpar os outros, porque, se eu pudesse escolher, ficaria o mais longe possível da ansiedade.

Ela torna a confiança praticamente impossível.

Sei que soa terrível colocar a culpa da falta de confiança na ansiedade, mas, sendo sincera, não se trata de atribuir culpa, mas sim responsabilidade. A ansiedade te faz pensar no pior em todas as situações.

Se alguém não responde minhas mensagens de texto, é isso: não gostam mais de mim. Se não me mandam mensagens, é porque não pensam em mim. Alguém está ocupado? Esquece. Têm algo melhor para fazer. Parece ridículo, certo? Bem-vindo à vida com ansiedade.

Eu não quero isso.

Você realmente acha que, se tivesse escolha, teria optado por decepcionar as pessoas que amo porque não consigo lidar com a ideia de sair?

Acha que quero sentir tanto medo de sair da cama que assisto 13 horas seguidas de Grey's Anatomy em vez de ir para o trabalho? Provavelmente não. Você escolheria isso? Duvido!

Então, quando você nos diz que estamos sendo dramáticos e só queremos chamar a atenção, pense bem no que está falando. Ninguém, repito, ninguém quer isso.

Todos os dias penso em ser diferente.

Não passa um dia sem que eu ouça uma voz na minha cabeça me dizendo como minha vida seria incrível se eu fosse diferente. Como, se eu não tivesse ansiedade, tudo estaria bem. Como eu poderia ser feliz de verdade e confiar que a felicidade não era uma piada ou uma brincadeira.

Não importa quantas vezes eu diga para mim mesma que tudo está OK e que estou sendo ridícula, nada está simplesmente "bem". Na verdade, até as menores coisas são um desastre.

Há tratamentos, e estou disposta a tentar todos eles.

Muita gente que é diagnosticada com ansiedade recebe a indicação de remédios para controlá-la. Na maioria das vezes, eles ajuda a me transformar numa pessoa um pouco mais funcional. Mas simplesmente tomar remédios costuma não ser suficiente.

Tentei ir à academia. As endorfinas ajudam muito. Muita gente faz ioga ou exercícios de respiração. Eles deveriam ajudar, mas ainda não tentei - estão na minha lista.

Faço muitas coisas que me deixam feliz. Para mim, escrever, cantar e colorir meus livros são atividades muito reconfortantes.

Além de todas essas coisas, descobri que a terapia é a melhor ferramenta e que ela vale cada centavo. Um terapeuta constantemente ao seu lado só para deixar você falar, sem te julgar ou culpar pelo seu problema, é uma experiência libertadora. Recomendo fortemente para quem tem dificuldades com a ansiedade.

Vou superá-la.

Mas vai levar tempo. Lutar contra a ansiedade pode ser uma batalha sem fim, com muitos tropeços e recaídas ao longo do percurso. Ainda estou no processo, e não é fácil. Nada fácil. É de longe a coisa mais difícil que tive de fazer na minha vida. E já passei por muita coisa.

Aprender a superar a ansiedade é a tarefa mais difícil que já me passaram. Mas esses pensamentos, aqueles que não são verdadeiramente meus, parecem veneno para minha alma. Nos dias em que saio vitoriosa, parece que consigo enfrentar o mundo inteiro de frente. Quero que todos os dias sejam assim, e não vou parar até que isso aconteça.

O lance é o seguinte: a ansiedade pode ser um negócio pesado e assustador. Não é uma lesão visível, mas isso não a torna menos legítima. Precisamos de pessoas em nossas vidas que estejam dispostas a nos ajudar, nos apoiar e entender que precisamos muito dessa ajuda e desse apoio.

Não vou mudar minha opinião a seu respeito se você achar que não consegue lidar com o comprometimento que é fazer parte da minha vida, só peço que você não crie esperanças e depois me decepcione.

Então, quando digo que "tenho ansiedade", é isso o que estou querendo dizer. Seja paciente comigo. Me apoie. Saiba que faço tudo pensando em como aquilo vai te afetar.

Estou lutando para ter controle sobre minha vida, entenda isso. Dou trabalho e sei disso. Não sou uma pessoa fácil de conviver, mas, se você deixar, estarei sempre à sua disposição. Jamais esquecerei como você ficou ao meu lado enquanto os outros debandaram.

Quando digo que "tenho ansiedade", estou te avisando o que vem por aí e te agradecendo por me escolher mesmo assim.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.

LEIA MAIS:

- 6 formas de transformar a ansiedade em uma 'arma secreta'

- 10 coisas que as pessoas não entendem sobre a ansiedade

Também no HuffPost Brasil:

9 dicas para controlar a ansiedade

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: