OPINIÃO

O juiz que absolveu traficante de maconha errou?

30/01/2014 10:03 -02 | Atualizado 26/01/2017 20:51 -02

Ganhou destaque nacional o juiz, em Brasília, que absolveu um traficante confesso de maconha, argumentando, em síntese, que aquela droga era recreativa.

A decisão provocou escândalo. Mas será que ele errou?

Não sei analisar juridicamente a questão - mas tudo indica que, pela lei, ele não poderia absolver um traficante.

Mas dá para julgar socialmente. Nesse caso, ele apenas está à frente de seu tempo.

Depois que os Estados Unidos, país que comandava a repressão às drogas no planeta, decidiu liberar em alguns Estados a maconha para recreação (algo que se fez no Uruguai), será difícil discordar da argumentação de juiz: de que não faz muito sentido proibir a maconha e deixar livre o consumo de álcool.

Sou dos que acham que a droga, especialmente a maconha (menos prejudicial do que o cigarro ou bebida), não é um caso de polícia, mas de saúde pública.

Aliás, lugar de cadeia é quem ponha em risco a vida humana; o restante, são penas alternativas.