OPINIÃO

Salve-nos quem puder

06/12/2016 11:11 -02 | Atualizado 06/12/2016 11:11 -02
Shutterstock / Robcartorres

Quem me lê sabe que sou dentista e que há 15 anos trabalho à frente de uma organização social que oferece tratamento odontológico gratuito a jovens de baixa renda.

Todos os dias, a cada triagem que fazemos, a cada pedido de ajuda que recebemos, sinto na carne o descaso público com a saúde bucal da população. São milhões e milhões de pessoas que não conseguem ir ao dentista de jeito algum. No posto de saúde, quando há o serviço, a fila é tão grande que uma simples consulta pode demorar anos - ANOS, no plural!

Escrevo a mesma coisa pela enésima vez porque, aparentemente, para a Secretaria de Assistência Social da cidade de S. Paulo, este problema já foi resolvido.

Explico. Há alguns meses a TdB inscreveu o projeto Dentista do Bem, que oferece tratamento odontológico gratuito a jovens de baixa renda de 11-17 anos, no FUMCAD (Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente), um fundo que, através da renúncia fiscal do Imposto de Renda, tem o objetivo de beneficiar projetos de entidades aprovados pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA).

Senhoras e senhores, na última sexta-feira recebemos a notícia de que nossa inscrição foi INDEFERIDA.

A explicação? Vejam com seus próprios olhos:

2016-12-02-1480703367-1551053-FUMCAD1.jpg

"A secretaria municipal de saúde tem projeto de prevenção bucal nas escolas, bem como centros especializados em odontologia para tratamento em todas as regiões de São Paulo e em Unidades Básicas de Saúde".

2016-12-02-1480703432-8520529-FUMCAD2.jpg

2016-12-02-1480703896-2995171-FUMCAD3.jpg

"Na saúde bucal: A saúde já realiza ações promoção e prevenção em parceria c/ a secretaria de educação no programa Saúde na Escola. Nas 455 unidades básicas de saúde há atenção bucal. As crianças e adolescentes que necessitam de tratamento mais complexo são encaminhadas aos CEO(s) (Centros Especializado em Odontologia)"

Enquanto isso, as 2.000 crianças que seriam atendidas graças à verba que captaríamos via FUMCAD continuarão sem dentes, com dor, esperando que alguma UBS, CEO (ou, mais provável, o divino espírito santo), lhes devolva o sorriso e a dignidade.

Temos uma semana para recorrer da análise e reverter o parecer. E como atualmente tudo parece funcionar à base da mobilização/pressão, vou pedir a sua ajuda: Se você conhece algum jovem com um grave problema odontológico e que nunca conseguiu atendimento público, deixe seu comentário aqui e nós o encaminharemos ao CMDCA... quem sabe assim alguém por lá descubra que o problema está mais perto do que se imagina.

ETC: