OPINIÃO

Hasta luego, México

11/05/2015 16:43 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02
Esparta/Flickr
Si mi memoria no me falla, esta foto la tome en Xochimilco... --

Subi no avião ainda baqueado pela dengue. Imagine, então, qual era o meu humor ao saber que enfrentaria 09h45min de voo... E que assim que chegasse à Cidade do México, meu destino, não teria um "respirozinho" pra descansar... a agenda estava LOTAAADA: ia dar trocentas entrevistas... fazer palestra para cadastrar novos voluntários para o programa Dentista do Bem... promover uma grande triagem aberta para selecionar novos beneficiários para a TdB... Ufa!

Felizmente, ao sair do aeroporto, me deparei com um dos lugares mais legais que já conheci. O México é simplesmente sensacional. E a Cidade do México é uma loucura... daqueles lugares para os quais você nunca pensa ir... e quando vai, não para de pensar em voltar!

Divido com vocês minhas impressões da maravilhosa capital do império Asteca.

¿Blanco, pra que te quiero?

Chegar ao DF (agora que somos íntimos, posso chama-lo assim :) ) é como entrar em um universo paralelo onde não existe roupa branca... É tanta cor, tanta estampa, que a gente não sabe pra onde olhar. Até jaleco de dentista é estampado...

Outra coisa - que só um careca poderia observar :( muita gente usa peruca...

Alegría, hombre...

Os mexicanos são um povo muito alegre... Mas ALEEEEEGRES! Eles têm um humor, um astral, um jeito de receber que encantam. Cheguei a me perguntar: "meu Deus, por que essa gente tá rindo?" Tem terremoto, eles estão rindo. O trânsito está caótico, eles estão rindo! Como se não houvesse amanhã...

¡No solo una ciudad grande...

A Cidade do México é um gigante de concreto maior que São Paulo, construído em cima de um vale pantanoso (existe isso?!). É prédio pra tudo que é lado, com os fios da rede elétrica formando aquele ninho de rato "à brasileira", sabe? E é trânsito. TRÂNSITO! Cheguei a perder 01h30min para percorrer (pasmem) seis quilômetros.

Outra coisa: a "diversidade" social grita. Os pobres e os ricos moram na mesma rua (parede-meia). E ninguém parece se importar muito com isso!

... pero una gran ciudad!

Me impressionou o cuidado que os mexicanos têm com a cultura. O DF tem museu que não acaba mais...

Dois deles, em especial, me marcaram muito. O primeiro é o Museu Frida Kahlo (clique aqui) - no caso, a residência onde ela nasceu e morreu. Deixei de ir às pirâmides (obrigado a quem me preparou uma agenda tão apertada) para conhecer o local... e nunca me arrependerei da decisão. É indescritível a sensação de passear por onde Frida pintava seus quadros! E o acervo? Sem comentários...

O outro desataque é o Museu Memoria y Tolerancia (clique aqui), que conta a história da intolerância, de todos os genocídios, desde o extermínio armênio. A visita, guiada por um professor de história recém-formado, dura 1h40min. Juro... 100 minutos impressionantes. Chorei como um menino em diversos momentos. E o tempo todo, o debate sobre a diversidade é trazido à tona. Como se eles dissessem: "gente, aqui nós somos todos muito diferentes e vivemos bem... vamos continuar assim, ok?"

Outra coisa impactante: a quantidade de manifestações. Fiquei no DF pouco mais de uma semana e não houve um dia sequer sem passeata na frente do meu hotel. Os motivos? Todos...

Xochimilco

Não, não é um personagem do Xou da Xuxa (uma das personalidades brasileiras mais conhecidas por lá, junto com Roberto Carlos e Nelson Ned, acredita?). Xochimilco (sotimilco em "brasileiro", que quer dizer "local onde as flores crescem" no idioma asteca) é um dos lugares mais incríveis que eu já conheci na vida. Ele se localiza há 20 km do centro (uma eternidade de carro, como se pode imaginar) e é composto de 190 km de canais - como eles dizem, uma mistura de Veneza com o Canal do Panamá! E você fica lá, andando pra cima e pra baixo numa "trajinera" (espécie de gôndola mexicana), enquanto milhares de pessoas fazem a mesma coisa - turistas, mexicanos, ricos e pobres... aí passa um barco e te vende uma bebida... outro barco com um grupo de Mariachis... Uma grande festa. Fiquei um dia inteiro por ali... e ficaria mais outros, sem pestanejar. Não existe nada parecido no mundo.

Resumen de la ópera...

Estive pouco mais de uma semana no DF. Trabalhei como um camelo, mas me diverti como um rei! Conheci um lugar maravilhoso, com pessoas inacreditáveis. E, para melhorar, trouxe na bagagem 166 novos dentistas voluntários que, juntos, atenderão 435 crianças mexicanas. Missão cumprida!

- Hasta luego, México. Cuando quieras?!