OPINIÃO

As lentes de contato e os procedimentos da moda

25/02/2016 10:40 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

Desde o final de semana, o mundo da odontologia não fala em outra coisa que não sejam as tais "lentes de contato odontológicas" e o uso delas pelas celebridades.

Também, pudera, o tema estampou a capa de uma importante revista e, na sequência, foi replicado em um número grande de veículos de comunicação: de sites e blogs a programas de TV.

Como muitas das informações divulgadas estavam equivocadas, me senti na obrigação de também repercutir o assunto.

Para quem não conhece, as facetas (o nome menos pomposo das "lentes de contato odontológicas") são pequenas peças de porcelana, parecidas com as "unhas postiças", colocadas sobre a superfície dental em procedimentos estético funcionais.

Com elas é possível resolver algumas imperfeições de cor, formas e posição dos dentes, criando um sorriso mais harmonioso.

2016-02-23-1456254944-9595545-02.2.JPG

A aplicação de facetas de porcelana é indicada na reabilitação oral de pessoas com dentes manchados, quebrados, desgastados, desalinhados ou com alteração de forma e presença de espaços - apesar de não ser o único procedimento utilizado nesses casos. Tampouco o único que dá certo (a resina, quando bem indicada e executada, também produz ótimos resultados em alguns casos).

Entretanto, quem acompanhou o assunto pela mídia dificilmente ficou com essa mensagem.

Por isso, juntei vários colegas que respeito (craques da estética dental de todo o país) para tentar, de fato, prestar um serviço ao leitor.

Para começar, as lentes de contato odontológicas estão sendo apresentadas como a GRANDE novidade da tecnologia odontológica. Porém, como pontuou o Dr. Alfredo Lucas Neto, de Campina Grande: "a aplicação de facetas existe há mais de 20 anos".

Além disso, é comum que matérias sobre procedimentos estéticos acabem popularizando as técnicas - já foi assim com clareamento à laser, por exemplo, sem contar as trocentas "modas" da cirurgia plástica que pipocaram nos últimos anos.

Agora, não é preciso ser dentista para saber que odontologia não é produto de consumo de shopping. Não dá pra você chegar no consultório e pedir o procedimento da moda, como se pede uma roupa numa loja: "Eu quero um sorriso igual ao da loira do Tchan".

Como ressalta o Dr. Leonardo Costa, de Salvador, existe uma série de fatores que precisam ser levados em consideração, como o "tom da pele, a idade da pessoa, traços do rosto. Infelizmente, há uma massificação das técnicas que já existem só para vender mais. Muitos pacientes querem o procedimento, mas é preciso ter uma indicação correta, senão o prejuízo é maior".

Apesar de ser uma técnica minimamente invasiva, a aplicação de lentes de contato acaba desgastando os dentes.

"A superfície do dente não é regular e a faceta/lente, como é fina, não pode encontrar nenhuma barreira senão pode quebrar. Tem que ter, pelo menos, um alisamento, um preparo de superfície para receber a lente", destaca a Dra. Tatiana Zakzuk Guzzo, de São Paulo.

É preciso, também, ter cuidado com a "exaltação de uma estética não natural", como apontou o Prof. Dr. José Carlos Garófalo.

Isso pode descambar no exagero (o tal do "efeito Mentex") - da mesma maneira que já vimos acontecer com o abuso das próteses de silicone mamárias, por exemplo.

Em minha opinião, a odontologia sempre foi estética.

Quer dizer, a estética está presente em todas as suas áreas, mesmo que de forma indireta.

Quando um dentista se ocupa dos dentes de um paciente, ele não pretende que fiquem com cores ou formas inadequadas.

Nesse sentido, a utilização das facetas (ou lentes de contato, como preferirem) na reabilitação oral traz resultados fenomenais - claro, nos casos em que são bem indicadas e executadas.

Além de transformar a estética, elas resgatam a autoestima do paciente. O que é, sem dúvida, um dos objetivos do trabalho do dentista.

Eu acompanho transformações geradas por facetas há anos e não apenas em minha clínica, com artistas ou gente rica. Eu vivo isso na Turma do Bem, com os jovens de baixa renda e mulheres vítimas de violência, que depois de terem seus sorrisos readequados, passam a enxergar a vida de outra maneira.

Isso faz feliz um monte de gente.

Entretanto, como tudo na vida, é preciso um pouco de moderação.

Como disse o Dr. Cristian Coachman, "o Brasil criou uma fama internacional positiva na odontologia, através de uma imagem de bom senso, que mescla arte e ciência. Espero que nunca percamos esta imagem e foco".

E LEMBRE-SE: HÁ DENTISTAS NO BRASIL INTEIRO PREPARADOS PARA FAZER ESSE TRABALHO.

Vamos mostrar alguns casos bonitos da técnica bem aplicada:

2016-02-23-1456253219-7993744-fotoblog1.jpg

2016-02-23-1456253240-6824231-fotoblog2.jpg

2016-02-23-1456253282-545857-fotoblog4.jpg

2016-02-23-1456253317-5773385-fotoblog5.jpg

2016-02-23-1456253341-323750-fotoblog6.jpg

2016-02-23-1456258970-8232974-Untitled1.jpg

LEIA MAIS:

- Como assim, senhor ministro da Saúde?

- Dia mundial de combate aos sorrisos mutilados

Também no HuffPost Brasil:

Famosos que falaram abertamente de saúde mental

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: