OPINIÃO

Notas perdidas da educação

20/10/2015 14:32 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02

2015-09-26-1443302160-2086288-OLF_7740copy_Menores.jpg

crédito: Carina Andreotti/Escola de Notícias

empilhou-se

de obrigações,

de conjunções,

multiplicações

de preocupações.

não sabia por onde começava,

nem se terminava.

das matérias,

que nada valia,

nada entendia,

decorava-as

depois esquecia.

será que de algo adiantaria?

não encontrava as soluções

para aqueles problemas de matemática

e nunca foi de decorar tabuada.

gostava de poesia

e sonhava entender sobre filosofia,

mas o que lhe entregavam

não fazia sentido em

nada.

notas?

se é isso que vocês querem

então entregarei

sem DÓ.

de RÉ

marchemos com fé

pela educação.

torcendo para que um dia

encontremos no nosso MI-nistério

um pouco de educ-AÇÃO

e o resto das notas perdidas,

que dariam mais sentido às vidas.

pilhou-se.

deixou as escolas de lado

e trouxe

um novo meio de transformação.

Agora há insPIRAÇÃO!

Thainá Souza, 18 anos, ex-participante da Escola de Comunicação da Escola de Notícias em 2014. Sujeito em mutação, sempre difícil achar definição. Poemo-me.

Carina Andreotti, 17 anos, ex-participante da jornada 2014 da Escola de Comunicação Comunitária da Escola de Notícias. É feminista ativista desde quando chutava a barriga de sua mãe para se livrar de lá e ser livre aqui. Olhos negros e curiosos apaixonados por pessoas e à procura de almas enrustidas. É fissurada por poesia e quando abusa dos livros, explora a poesia dos lugares.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:



Ideb: Como está a educação no seu Estado?