OPINIÃO

Você é uma 'Bitcoin Barbie'?

11/04/2014 15:05 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:23 -02
JOHN D MCHUGH via Getty Images
London, UNITED KINGDOM: A Charleston 2nd Series Bob Mackie Limited Edition Barbie, valued at around 300-450 euros, is seen at Christie's auction house in London, 25 September 2006. Over 4,000 Barbie dolls, ranging from 1959 to 2002, will be auctioned 26 September, and the collection is expected to realise in excess of 150,000 euros. AFP PHOTO / JOHN D MCHUGH (Photo credit should read JOHN D MCHUGH/AFP/Getty Images)

Ainda que a inflação aumente o custo da cesta básica, os marqueteiros da moeda virtual bitcoin estão mirando nas mulheres brasileiras como alvo do novo cartão de pagamento, com a justificativa de usá-lo para comprar itens caros e frívolos, como as famosas Barbies.

"Bebidas alcoólicas em um clube chique. Sapatos e roupas que fazem você se sentir como Grazi ou La Galisteu, tanto faz. Pague com bitcoin no seu smartphone."

Na internet e na televisão alguns especialistas estão dizendo que bitcoin é o futuro da economia mundial. Se você for esperto, conseguirá ver os gnomos suíços empurrando carrinhos cheios de bitcoins nos subterrâneos dos bancos em Zurique.

Na verdade, a quantidade de bitcoins em circulação é pequena, $6,4 bilhões, segundo estimado pela agência Reuters. Uma ninharia em contraste com as reservas em dólar do Banco Central chinês ou o Federal Reserve dos Estados Unidos. Mas a mídia internacional tem dado à moeda virtual e seus serviços a mesma importância das moedas importantes como o dólar, euro e yuan da China.

Se o país se olhar no espelho, é evidente que o status da maioria das mulheres, de Pelotas a Boa Vista, não é compatível com os interesses do movimento bitcoin.

O bitcoin emergiu em 2008 como um movimento dedicado a oferecer aos especuladores e libertários com agendas antigovernamentais uma maneira para operar fora dos controles monetários internacionais. Ele continua a ser um clube de homens reservado, dominado por especialistas em informática e criptografia. Existem poucas mulheres envolvidas nas empresas brasileiras, na sua estrutura de gestão sênior.

Ao contrário do dinheiro, que é apoiado pela fé no crédito de um governo, o bitcoin não é apoiado por nada. Seus usuários preferem evitar os impostos do que construir democracias e programas de inclusão social, desenvolvidos por governos como o do Brasil.

Compradores de bitcoin e serviços de pagamento associados podem perder seu "investimento" num piscar de olhos, devido às condições de mercado, a hackers e à má gestão das empresas. Bitcoin é um investimento de alto risco.

Algumas operadoras procuram gerar lucros com a oferta de bitcoins, carteiras com programas sofisticados, desenvolvidos para proteger transações e a privacidade dos correntistas. Mas elas são problemáticas. Nenhuma das carteiras ou cartões de pagamento devolvem o total do preço de aquisição da mercadoria.

Taxas de serviços extras são comuns e o tempo de espera para a resolução é um processo longo devido ao fato de que o bitcoin opera fora do alcance das leis, tanto em estados-nação como tribunais internacionais.

Recentemente o Brasil deu um grande passo tributando rendimentos de pessoas que investem em bitcoin, a maioria homens. Mas hoje não é segredo que os homens não tomam a maioria das decisões famíliares. Enquanto existe a possibilidade da ordem econômica mundial, será justo a um sistema de pagamentos alternativos fazer das mulheres o mercado-alvo para algo tão volátil?

Ninguém fez essa pergunta durante uma recente apresentação de cerca de 12 minutos no programa Mais Você, da Rede Globo, talvez o programa de TV mais popular entre as mulheres no Brasil. Até o papagaio da loira estava louvando as virtudes do bitcoin!

Infelizmente seria de esperar que Ana Maria Braga, um dos nomes de maior penetração na mídia brasileira, deveria ter equilibrado a cobertura do bitcoin com os riscos associados a esse dinheiro virtual, e não foi o caso. Um tema que Ana Maria não compartilhou com seus milhões de fãs é a falência de $520 milhões pelo Mount Gox, considerada a maior bolsa de bitcoin do mundo.

É uma quantidade muito grande de dinheiro. Trazendo para o mundo das finanças públicas, o montante da falência representa cerca de 67% do R$ 682 milhões que o BNDES tem garantido para financiar o projeto da zona de livre comércio no porto de Mariel, Cuba, que está sendo desenvolvido pela empresa Odebrecht e sua parceira cubana Quality. A falência do Mount Gox está agora sob a jurisdição de um tribunal federal de falências nos Estados Unidos.

Muitos especialistas dizem que, para entender e colher os benefícios do bitcoin, os utilizadores devem ter um conhecimento básico da criptografia que impulsione seu software. Ironicamente, o lema impresso em cada bitcoin, nas imagens que você vê na internet, é "em criptografia nós confiamos".

Mas as organizações que realmente acreditam em criptografia são a NSA e outras agências, com a missão de "proteger a estabilidade da ordem econômica". Agências que têm o poder de criar uma réplica do Twitter em Cuba, em uma tentativa de desestabilizar o governo de Raul Castro. Imaginem o que pode acontecer com o bitcoin.

Aqueles com a ideia de que as mulheres serão as estrelas do "Big Bitcoin Brasil" devem pensar sobre isso.