OPINIÃO

A importância de um ambiente familiar estruturado

18/04/2014 08:00 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:12 -02
Getty Images

Estamos vivendo uma sociedade moderna em que os jovens iniciam muito cedo nos prazeres da vida. Eles se sentem maduros aos 15 anos, mas não têm a inteligência necessária de prever que certas atitudes não tem retorno. A importância de um ambiente familiar saudável é o melhor antídoto para se ter filhos adolescentes sem problemas. Aprendi também que os pais de hoje não estão muito preparados para ter diálogos com os filhos. Esta nova sociedade que começou há cerca de uns 30 anos atrás, acelerado pelo surgimento da internet, aconteceu tão rápida que os pais não estão acompanhando a velocidade das mudanças. Eu tive a felicidade de ter filhos em momentos diferentes: aos 25 anos e aos 57 anos. Extraí disso tudo que era educativo e hoje ensino meus gêmeos de 4 anos, participando muito mais do dia-a-dia deles. Tenho certeza que passarei um bom ensinamento para que seja bons cidadão no futuro. Criar filho nos dias de hoje é totalmente diferente de criar filhos nos anos 90.

Como conseguir a façanha quando um casal trabalha fora, e se desdobrar para manter um ambiente familiar estável?

Quando eu tinha meus 30 anos trabalhava muito e fazia um esforço muito grande para separar os problemas do trabalho e a obrigação de não contaminar a família com o ambiente profissional. Aprendi logo que a família vem sempre em primeiro lugar. Se você vive num ambiente familiar saudável você fatalmente irá ser um executivo de relativo sucesso na vida profissional. O contrário não é verdadeiro, e é por isso que hoje as empresas modernas quase que obrigam o executivo a ter uma vida familiar saudável. O que significa isto: as empresas já não gostam de ter executivos que trabalham todos os dias depois do horário; não gostam daqueles que trabalham aos sábados e domingos, e fazem da empresa seu objetivo de vida. Tem que ter um equilíbrio entre família e trabalho. No meu caso, eu tenho amigos que colecionei fora do trabalho que sei que serão meus amigos para sempre e tenho centenas de COLEGAS de trabalho. Mas sei que o dia que eu parar ou me aposentar os meus COLEGAS irão quase desaparecer.

São poucos COLEGAS de trabalho que eu convido para vir até a minha casa curtir um churrasco. Não faço jantar na minha casa convidando colegas da vida profissional. Acho isto tudo uma grande chatice. É chato para quem faz e para quem vem. Também não participo há muito tempo de jantares de negócio. Quando sou convidado, declino e marco uma reunião no meu ambiente de trabalho. Posso atestar que este meu estilo de colocar a família em primeiro lugar (leia-se: protegendo a família de algo de que eles não participam) e encarando a vida profissional com seriedade deu certo para mim. Fico triste quando vejo muitos amigos caírem em depressão quando perdem o emprego. Parece que o mundo desabou. Aí, nestas circunstâncias, eu noto que esta pessoa nunca foi feliz na vida familiar. Resultado, a família desaba também.