profile image

Dorly Neto

DJ, Produtor Cultural e Empreendedor

Poeta, DJ e formado em Relações Públicas, já tendo trabalhado no Jornal SRZD, Lance! e nas ONGs CDI e Circo Social Crescer e Viver. Dedicou anos na construção e disseminação da Benfeitoria, uma plataforma de mobilização de recursos para projetos transformadores. Hoje dedica-se como Evangelista de Mídias Sociais do Descomplica, o maior portal de educação online do Brasil e um dos maiores do mundo. Foi membro-conselheiro da Associação Comercial e do Conselho da Juventude da Cidade do Rio de Janeiro, além de professor de Leitura e Intertextualidade do pré-vestibular comunitário InVest.
gulfu photography via Getty Images

Como o trabalho de base das religiões pode fortalecer a democracia?

Este é o trabalho mais valioso da igreja: colocar em comunhão e em pé de igualdade e solidariedade pessoas de origens e vivências muito diferentes entre si. Este trabalho de base feito pelas igrejas é muito valioso para o fortalecimento da democracia e vai muito além dos fundamentalistas religiosos que hoje estão no poder. Vale termos a cautela e o espírito democrático para avaliar caso a caso e de não manchar a imagem de um ou outro político pelo seu histórico religioso, apenas por motivos estritamente eleitoreiros.
25/10/2016 13:19 BRST
Reprodução

Por uma pedagogia da perda

A gente não é educado a dizer "não". E muito menos a receber os "nãos". Isso é um problema: assim, nos frustramos por muito pouco. A real é que deveria existir uma "pedagogia da perda", pois é sobre isso que a vida é: perdas
18/06/2015 12:08 BRT
larigan - Patricia Hamilton

O que não sabemos sobre a periferia no Brasil?

O que não sabemos sobre a periferia é justamente o que os atores que ali moram e criam a simbologia de seu território estão construindo. E por que não sabemos? Estamos acostumados a olhar as áreas periféricas de nossas cidades através de representações externas ao próprio território.
11/05/2015 09:56 BRT
Emile Krijgsman/Creative Commons

Portão 21

Eu achei que ia me perder - Acir projetou-se contando ao amigo, assim que seu voo chegasse a São Paulo - mas continuei, mesmo achando que seria melhor ter deixado tudo quieto (e ele se viu preso em dois erros: o espanto que precede a lembrança de sua ineficiência para o conflito e o desejo olímpico em manter-se com a razão em uma discussão), até que tomei a decisão de viajar
20/01/2015 11:07 BRST
Getty Images

Homens: temos mesmo o direito de oprimir?

Não há nada que fere mais a consciência de um machista do que ter o seu direito de oprimir ameaçado. Ele, sem controle, erroneamente se vê como 'menos homem', pois acha que é por meio da opressão que se faz a masculinidade.
20/03/2014 11:38 BRT