OPINIÃO

10 estratégias europeias para economizar água

10/02/2015 17:33 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:53 -02
LivyAnn/Flickr
i managed to get about forty photos from this shoot. and they all pretty much look the same. i didn't focus this one as much... i like the softness of it. it felt weird using a flash--something i haven't done in a while. i also was quite lazy and just used the most basic and automatic setting on my camera without the intention of actually uploading any of them. little did i know i would fall in love with one of the pictures ^ sooc

Durante décadas desperdiçamos rios de água pelas torneiras e agora estamos chorando cada minuto a menos no banho. Resolvi trocar as lágrimas pelo riso (assim, economizo também essas gotinhas salgadas), me inspirando nos meus amigos europeus da época da faculdade em Londres.

Me dei conta que eles sempre viveram como nós estamos tendo que viver agora - coisa de países que passaram por guerras. Não é que deu certo? Para rir ou chorar, se você quiser economizar, não deixe de ler essas dicas imperdíveis para uma a vida sem água:

.

1) Substituir chuveiros por banheiras - Os ingleses raramente têm chuveiros. Eles se banham em banheiras, daquelas antigas de pés de metal ou modelos simples integrados à parede. Ao encher uma banheira, você tem a noção exata de quanta água está usando e pode estabelecer um limite econômico para a imersão. Atualmente, os joelhos (esticados) são uma boa medida. Se você não pode adquirir uma banheira, compre um baldão colorido e use a mesma técnica para banhos de gato.

2) Compartilhar a água da banheira - Os ingleses não têm nojinho de compartilhar a água da banheira. Na casa do meu melhor amigo inglês, o John, moravam quatro estudantes de medicina (portanto, o método deve ser aprovado pelo Conselho Médico) que se revezaram sobre quem faria a primeira, segunda ou terceira imersão do dia. Exceto quando Sarah estava menstruada, claro, quando ela era necessariamente a última a se banhar. É sério!

3) Não dar descarga a noite - Fazer xixi ou cocô de noite e dar a descarga é mal visto entre os suíços, porque faz um barulho tremendo e acorda os vizinhos (entenda que os prédios de lá são muito antigos e as pessoas idem), então, todos simplesmente tampam a privada e pela manhã, após as necessidades matinais, dão a descarga. Isso gera uma economia de no mínimo 2-3 fluxos de água.

4) Técnica alemã de lavar louça - Numa me esqueço a cara do meu amigo alemão quando fui lavar louça ao modo brasileiro na casa dele. Abri a torneira e quando achei que estava arrasando no fluxo intenso, ele fechou a torneira: "Porque tudo isso? Aqui enchemos um lado da cuba com água e sabão e deixamos os pratos & talheres submersos, depois esfregamos tudo e empilhamos na bancada ao lado. Banhamos tudo (na mesma água) e, finalmente, um rápido enxague com água fresca."

5) Não lavar as panelas - Na casa do meu amigo John, o estudante de medicina, a panela de fritar batatas fritas funcionava da seguinte forma: comprava-se um pote de gordura animal, derretia-se a gordura na panela, fritava-se as batatas e, depois, deixava-se a panela esfriar até a hora de ser guardada dentro da geladeira para esperar a próxima fritada! Isso mesmo! Uma panela a menos para lavar! E das mais difíceis de deixar tinindo!

6) Técnica alemã para escovar os dentes com 100 ml de água - encha um quarto de copo de água e molhe a escova ali mesmo. Então, coloque a pasta de dente, escove os dentes, dê um bochecho (dois são desnecessários) e, ao cuspir a água (do único bochecho), você já enxagua a escova. Dá uma batidinha para secar as cerdas e pronto!

7) Não lavar o chão da cozinha - Me chocava que as pessoas tinham carpete na cozinha em Londres. Claro que manchas das noites ébrias tornavam-se parte da decoração, mas todo mundo sobrevivia sem lavar o chão todos os dias. Consumo de água zero! Percebi que diante dessa impossibilidade, todos tinham mais cuidado com respingos e migalhas.

8) Reaproveitar a água do banho - Você achou que depois de John e seus amigos se banharem naquela água da banheira ela estava inutilizada? Que nada! Ela ainda era útil para dar descargas. Com um baldinho do tamanho exato, você consegue dar a descarga direitinho (faz até o barulhinho oco do final) e economiza mais uns 3-4 fluxos!

9) Retornar plantas domesticadas para a natureza - "Suas plantas são como passarinhos engaiolados e seriam muito mais felizes na natureza, para viver ou morrer", me dizia um Sueco natureba. Liberte suas plantas e economize água, particularmente se você tiver trepadeiras! Leve todos os seus vasos para o Parque do Ibirapuera, faça um piquenique de despedida, cave buracos na terra e dê adeus!

10) Deixar de beber água (essa vocês vão gostar!) - Passe a beber cerveja ou vinho, de preferência importado. Claro que toda bebida líquida contém água, mas se a sua cerveja foi produzida em Petrópolis e o vinho for Chileno você não estará se embriagando da Cantareira. É uma dupla economia, de certa forma. Essa dica é complementar à todas as outras, porque permanecer ébrio ajuda a rir da situação.

Bem, é isso. Seguindo essas dez dicas, você ainda vai se tornar uma figura super ecológica, que anda de cabeça erguida na rua porque economiza água além da média e, de quebra, vai sempre ter papo com as pessoas e pode até fazer amigos novos. Tudo bem que você vai estar mais fedidinho, mas nada que um perfume (de preferência francês, novamente priorizando a água importada) e sua elevada auto-estima cidadã não compense. Economizar água, afinal, pode ser tornar divertido!

Curta a gente no Facebook |
Siga a gente no Twitter

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.