OPINIÃO

8 aprendizados para mulheres empreendedoras (e que homens também vão aproveitar!)

29/07/2015 19:02 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02

No final de junho estive em Berlim para participar do DWEN Summit, evento para mulheres empreendedoras promovido pela Dell. Ter a oportunidade de participar de um encontro assim é maravilhoso, pois além do conteúdo sério e fundamentado, pude conhecer e me conectar com empreendedoras de diversos lugares do mundo. Essa troca é fundamental. Todo mundo que empreende passa por momentos difíceis. Em eventos como esse vemos que não estamos sozinhas e, mais do que isso, nos inspiramos com cases de pessoas que superaram as dificuldades.

2015-07-29-1438203382-4965301-11540839_1035433859814761_4747942447715558658_n.jpg

Como eu em todos os eventos que participo, fiz diversas anotações. Depois de merecidas férias com minha filha na Europa (a velha busca por equilíbrio entre vida profissional e pessoal, lembram?), fui reler o material. Foram mais de 40 páginas com textos, esquemas, gráficos e mapas mentais. Reli tudo e fui assimilando as informações. Foi tanta coisa relevante que resolvi fazer um apanhado e transformar em post.

1) "Se as mulheres não se envolvem com tecnologia e tecnologia é o futuro, então as mulheres não fazem parte do futuro!"

Robin Reynolds, diretora do documentário CODE, que aborda a baixa representatividade feminina na tecnologia.

Esse foi um dos painéis mais interessantes do meu ponto de vista, pois discutia a importância da tecnologia para o empreendedorismo feminino - e a frase acima diz tudo. A tecnologia permite que negócios sejam escalados, otimizados, aperfeiçoados, mensurados - faz com que nossas empresas fiquem mais competitivas e preparadas para o mercado e para o futuro. Robin também disse que em 1984 havia praticamente paridade entre os gêneros na tecnologia, mas que hoje as mulheres são minoria. Ela reforçou que a tecnologia está em todos os lugares e que precisamos entender o básico para aproveitar melhor as oportunidades.

2) "Você não vai querer perder uma boa crise."

Iris Lapinski, CEO da Apps for Good

Essa frase tem tudo a ver com o momento que estamos vivendo no Brasil: uma crise econômica. Ao mesmo tempo em que crises nos preocupam e trazem problemas para a sociedade como um todo, cabe ao empreendedos escolher a postura que vai assumir diante disso. Iris falou que crises econômicas também são ótimas oportunidades, pois crises trazem problemas e empreendedores são, antes de mais nada, solucionadores de problemas. Foi destacado que os pequenos e médios empreendedores são os que mais podem se beneficiar da crise pois, com uma estrutura menor e mais barata, consegue ser mais flexíveis e se adaptam melhor às mudanças. Então, fica a sugestão: encare a crise de maneira diferente.

3) "Se sentir desconfortável e enfrentar dificuldades faz parte do processo. É o sinal de que estamos evoluindo e aprendendo alguma coisa."

Syd Atlas, Senior Coach da Own the Room

Vivemos falando sobre a importância de pensar fora da caixa e de inovar nos nossos negócios. Mas na hora de colocar isso em prática muitos de nós ficam inseguros, com medo de errar. Mas só aprendemos errando e testando o novo - e quem empreende sabe muito bem disso. Então, quando você se sentir desconfortável, saiba que isso é resultado de testar coisas novas, de fazer o diferente, de arriscar. E são nesses momentos que crescemos.

4) "Confie nas suas habilidades e não deixe que seu gênero seja um obstáculo na sua paixão por resolver problemas."

Jim Lussier, Diretor, Dell Ventures

Ao mesmo tempo em que precisamos estar cientes que existem problemas e questões especificamente femininas na hora de empreender, Jim defende que precisamos focar no nosso potencial como profissionais.

Como em tudo na vida: basta estar preparada e ter a atitude certa. Na hora de empreender, cerque-se de conhecimento técnico, leia livros, prepare-se da melhor maneira possível (até porque é bem mais difícil criar um negócio de sucesso apenas com motivação). Entenda as características femininas, tenha claro quais se aplicam a você e foque no seu potencial ao invés de ocupar a mente com possíveis fragilidades.

2015-07-29-1438203483-1064974-gender.jpg

5) "Isso não é sobre desigualdade, é sobre impacto."

Karen Quintos, Diretora de Marketing da Dell

No encerramento do evento, Karen reforçou a importância de mudarmos o foco da discussão. Mais do que falar sobre as desigualdades e dificuldades, o foco deve estar no impacto que o empreendedorismo feminino traz para o mundo dos negócios (até porque, ao falarmos de dinheiro, os homens escutam). E esse impacto vai além de resultados financeiros, mas também em número de empregos, redução da desigualdade, e sustentabilidade ambiental.

6) "Não acredite em opiniões que limitam nossas ações."

Jessica Jackley, co-fundadora da Kiva

Quando empreendemos, é natural ouvir críticas, sugestões e opiniões de pessoas que não fazem parte do processo. Por mais que essas pessoas sejam bem intencionadas, muitas vezes nos deixam com receio de dar o próximo passo. Jessica falou sobre como foi fundamental para ela ignorar falas que de alguma maneira a limitassem.

2015-07-29-1438203443-6223579-cherieblair.jpg

7) "Os três C's que toda empreendedora precisa são: Confiança, Construção de capacidade e acesso a Capital."

Cherie Blair, advogada e presidente da Fundação Cherie Blair

Ao ser entrevistada por Elizabeth Gore, Cherie citou os aspectos que mais importantes no desenvolvimento do empreendedorismo feminino, de acordo com estudo feito pela sua fundação. A Fundação Cherie Blair oferece mentoria, que fortalece a capacidade técnica e a confiança, para que mulheres tenham mais acesso a capital.

O Jogo de Damas, minha empresa, tem 3 pilares - conteúdo, networking e inspiração - que são muito próximos dos e C's da Cherie. Conteúdo e acesso à informação como construção de capacidade e instrumentalização técnica. Networking como forma de ampliar as possibilidades de negócio e, indiretamente, o acesso a capital. E inspiração através de role models e representatividade - servindo como forma de fortalecimento da confiança feminina.

8) "Quando você se permite ser quem você é, quem você quer ser e se permite conquistar o que você quer, isso tem um grande impacto."

Amy Millman, presidente da Springboard Enterprises

Numa das conversas sobre a importância de exemplos para as mulheres empreendedoras, Amy falou sobre como ir atrás dos nossos sonhos pode ajudar a empoderar outras mulheres. E isso tem tudo a ver com empreendedorismo, representatividade e a confiança que citamos no item anterior.

Saiba que esses aprendizados, ainda que importantes, são apenas o começo. Empreender envolve preparo técnico e emocional, envolve assumir riscos, envolve muito trabalho e responsabilidade.

A motivação faz parte, mas é apenas uma parte pequena do todo, ok?