OPINIÃO

As cartas que nunca te enviei: o medo de te esquecer

14/03/2016 18:09 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
tnarik/Flickr

Meu amor,

Hoje escureceu tão cedo que até te procurei por debaixo das cobertas.

Queria tanto entrelaçar as minhas mãos às tuas...

Mas não te achei.

E senti medo.

Medo por não estares aqui. Medo do que não posso ver. Prever.

Medo porque é nas horas que as estrelas acendem no céu, que amanhece a minha solidão.

E já fazia tempo que eu não sentia isso. Esse vazio completo.

Uma falta de algo que ainda não sei exatamente o que é.

E sinto medo.

Medo por não sentir nada. Medo do que ainda está por vir.

E por isso, todos as noites, tento te dizer adeus.

Mas parece que nada do que eu faça consegue te levar pra longe.

Suas lembranças voltam, como a maré.

Com mais força. Com mais sentimento.

E é nessas horas que eu sinto medo.

Medo porque quero, de verdade, te esquecer.

Medo porque não quero, nunca, que me esqueças.

Sua

2016-01-18-1453143401-1165378-large.jpg

LEIA MAIS:

- Estas 8 mulheres querem que você viva a sua própria beleza

- Pelas janelas do mundo: Uma entrevista com o fotógrafo André Vicente Gonçalves

Também no HuffPost Brasil:

A beleza dos amores antigos