OPINIÃO

Que em 2016 o Whatsapp seja bloqueado mais vezes

14/01/2016 19:04 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Divulgação/Medianeras

No finalzinho de 2015, o Brasil entrou em pânico porque o Whatsapp ficou fora do ar.

O bloqueio foi resultado de uma decisão judicial bastante questionável e não chegou a durar 24 horas, mas causou falta de ar em muita gente.

Será que esses sintomas significam que estamos muito mais dependentes desses aplicativos do que gostaríamos?

Este episódio me fez reavaliar minha presença on-line e decidi que 2016 será diferente. Desgrudei do celular para estar mais presente na vida e mais consciente do que estou fazendo.

Os nossos hábitos online também são produto da sociedade de consumo. Nós não gastamos dinheiro com isso, mas gastamos tempo, que é a mesma coisa - ou até mais valioso.

Para conseguir mudar a rota desta órbita digital em que nos metemos, é preciso refletir sobre dois mitos:

1. O mundo de hoje exige que eu esteja 100% conectado.

Nosso planetinha vive dias ótimos em que a tecnologia proporciona várias facilidades. Eu, particularmente, fico feliz de viver em 2016 e não precisar esperar meses para receber notícias de alguém. Estamos vivendo melhor? Sim. Estamos nos sentindo melhor? Talvez não. Se você se sente obrigado a estar online e disponível 100% do tempo, por causa da sua profissão ou da "vida social", significa que o alerta vermelho está gritando para você. Afinal, você quer mesmo passar o dia inteiro curtindo, compartilhando e trocando mensagens com pessoas fisicamente distantes? É um pouco paradoxal, mas quando ficamos conectados o tempo inteiro temos a ilusão de sermos vistos e lembrados quando, na verdade, estamos nos tornando cada vez mais solitários.

2. Eu quero, mas não consigo desconectar.

Recentemente, passei uma semana em um vilarejo onde não funciona telefone nem internet. As pessoas de lá levam uma vida simples, dormem e acordam cedo e aparentam estar muito felizes. Depois desse período vivendo no paraíso, eu voltei para casa decidida a tentar trazer um pouco desse estilo para a minha vida. Claro que não durou muito. Mas que tal tentar o caminho do meio? Não temos que viver isolados numa ilha paradisíaca, mas não precisamos passar o tempo inteiro reféns dos nossos aparelhinhos. Trocar ideias e informações com amigos distantes é ótimo e podemos destinar algumas horas do dia para isso. No restante, seria bom dar atenção para aqueles que estão perto (quem nunca ficou no Whatsapp falando com alguém de fora quando estava no ladinho de uma pessoa super especial?), para o que está acontecendo ao seu redor naquele momento (situações no metrô, na rua, na vida que você não está vendo porque os olhos estão grudados no smartphone) e dentro de si mesmo (ficar sozinho é tão importante, mas parece que perdemos esse hábito ultimamente, né? Qualquer pensamento fica abafado com os sons de notificação apitando perto de você).

Eu já acreditei nesses dois mitos por um tempo. De que eu era obrigada e de que eu não conseguiria. Mas basta um pouco de tempo tentando para perceber que o esforço diário derruba qualquer hábito ruim. Comecei desativando a notificação de alguns aplicativos para que eu não me distraísse com qualquer coisa. O Whatsapp é, pra mim, o pior serviço online nesse sentido porque ele reforça a ideia de que você precisar estar disponível o tempo todo.

Outras decisões que melhoraram a minha vida: me permiti ficar afastada do celular em alguns momentos do dia. Afinal, não há notícia que não possa esperar (boa ou ruim). Já que durante a semana eu passo muito tempo trabalhando no computador, evito ficar on-line nos finais de semana. E parei completamente durante viagens - aqueles dias preciosos de folga e felicidade.

Descobri que não faz sentido deixar de aproveitar o cenário, cheio de novidades e oportunidades, só para ficar postando fotos. Não me leve a mal, eu adoro fotos, principalmente de viagens, mas não precisa ser naquela hora, certo? Dá pra publicar em outro momento. Nada na vida é tão instantâneo como nossos smartphones querem nos fazer acreditar. Meu desejo para você em 2016 é: faça o seu tempo.

LEIA MAIS:

- Pare de brigar contra a evolução da linguagem das mensagens de texto. Ponto.

- 7 alternativas ao WhatsApp para usar nesses dois dias de bloqueio

Também no HuffPost Brasil:

A internet e a Justiça brasileira

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS: