OPINIÃO

Por que 2016 é o pior ano de todos?

06/01/2017 11:56 -02
voinSveta via Getty Images
2016 countdown timer with flip isolated on white background. Analog scoreboard calendar change represents the new year 2016

Tenho que concordar. Nenhum ano foi tão ruim, dramático, destruidor de lares e de sonhos como 2016. Um caos político, separação de Bonner e Fátima, aprovação da PEC 241, guerra na Síria, a Chapecoense que não chegou à Colômbia e, quando a gente acha que já está quase se livrando deste filme, a princesa Leia morre no final.

É o pior ano de todos.

Nos vemos novamente em 2017, quando estaremos aqui fazendo as mesmas reclamações. Assim como foi em 2015.

E como deve ter sido em 1990, quando o presidente resolveu confiscar investimentos que os brasileiros possuíam, inclusive o dinheiro suado da poupança. Consegue imaginar? O ano de 1911 também não foi muito bom para as mulheres, que não podiam votar, mas trabalhavam como operárias em péssimas condições. Indo mais longe, podemos voltar 700 anos e relembrar o ano da Grande Fome na Europa, que matou milhões de pessoas. O próprio ano 1.dC teve suas tragédias memoráveis e um rei supostamente infanticida que mandou matar todos os meninos com menos de dois anos.

Isso foi só para lembrar que o mundo sempre foi terrível e avança numa curva suave e lenta. A melhora é sensível demais para a gente notar e as más notícias sempre se destacam mais na nossa memória. Por isso, e só por isso, 2016 parece tão difícil.

Odiar o ano que passou é uma maneira de rezar para que o próximo seja melhor.

O Reveillón é o portal mágico onde podemos deixar tudo isso para trás. Este é o milagre da renovação. Quando estamos cansados e entregando os pontos, é hora de vestir branco, pular as sete ondas e entrar em um mundo novinho em folha, onde tudo vai ser melhor e diferente.

Só que não vai. O ano vai ter sua cota de tragédias pessoais e mundiais, como sempre. A sua vida vai ter dias terríveis e dias maravilhosos misturados a um montão de dias normais. Esse último tipo é o que considero mais importante, pois são os mais abundantes e onde você realmente pode fazer alguma diferença. Afinal, se nenhum acontecimento exterior extraordinário está ocorrendo, você tem total liberdade de decidir que tipo de dia terá.

Um ano é feito, em maioria, por dias normais. Escolha como você vai viver esses dias e, no final do ano, você terá escolhido o tipo do ano que passou.

Desejo que você tenha isso em mente e construa um ótimo 2017 para viver.

LEIA MAIS:

- 3 tesouros que eu aprendi sobre dietas

- Está entediado? Que ótima notícia!

Também no HuffPost Brasil:

5 maneiras de cultivar a felicidade