OPINIÃO

Para tudo que eu quero descer

25/04/2014 11:51 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:24 -02
Getty Images

Apesar do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) ter revisto o resultado, absurdamente indignante, de que 'mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas', esse é o comentário mais absurdo que alguém poderia ouvir em pleno século 21.

Por favor, para tudo porque eu, como mãe e mulher, quero descer.

Ao ler esse dado imediatamente me perguntei: quem educa esses homens que estão por aí invadindo, física e moralmente, a integridade das mulheres? E quem educa esses homens e mulheres (sejam os 65% inicialmente publicados, sejam os 26% divulgados posteriormente como correção) que deram essa resposta absurda?

Tão absurda que o Ipea teve de passar a vergonha de se retratar e corrigir os resultados. De qualquer forma, o que pensam esses 26% para dizer isso?

Todos foram educados por mulheres. Mesmo com o suporte do homem (o pai) na educação dos filhos, nós mães sabemos que a maior carga fica para nós. O que significa também que somos o exemplo para nossos filhos. Se você é consumista, isso influenciará seus pimpolhos, e se você for machista, mesmo sendo mulher, isso terá consequências também.

Por outro lado, por experiência própria, vejo atitudes e opiniões machistas em meu filho, mesmo ele não tendo nem o pai, nem a mãe para se espelhar. Meu papel constante é combater isso e educar.

O que percebo é que existe um consenso social sobre determinadas 'coisas' que são atemporais. Se uma menina beija muitos meninos ela não presta, mas se um menino beija todas as meninas ele é 'o cara'.

Então me pergunto: nós é que estamos errando e, lá na frente, causando esse caos social que é você, em um país tropical, não ter o direito de andar como quiser, usando uma roupa mais curta ou decotada?

Mãe de adolescente sabe muito bem como é árduo o trabalho de educar um filho. Minha experiência é com menino e o que vivencio são algumas opiniões machistas por parte dele. Que combato sistematicamente para que se transforme em respeito ao próximo, principalmente às mulheres.

Independente do tipo de roupa que uma mulher ou menina estiver usando, deve ser respeitada, SEMPRE e em qualquer lugar. Desde pequeno repito ao meu filho: só faça algo que tenha o total consentimento da menina, qualquer coisa diferente é abuso, físico ou psicológico.

Será que as mães conversam isso com seus meninos?

Aproveite cada comentário do dia a dia, cada situação, por menor que seja, para colocar isso na cabeça de seus filhos. Para que eles sejam homens no futuro e não um bando de pervertidos (e porque não dizer perturbados) que têm coragem de fazer coisas bizarras publicamente como, por exemplo, bolinar mulheres e se satisfazer no transporte público.

#NãoMereçoSerEstuprada