OPINIÃO

Ásia de templo em templo

08/04/2016 14:54 -03 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Bartosz Hadyniak via Getty Images

O cheiro inebriante de incenso que emana dos coloridos templos hindús. As imagens douradas observadas por monges nas pagodas e estupas budistas. O som das orações que ecoam nos amplos pátios das mesquitas muçulmanas. Carregados de tradições, rituais, símbolos e histórias, os templos ao redor da Ásia provocam e desafiam os sentidos de turistas ocidentais que chegam ao continente e frequentemente ocupam lugar de destaque em seus roteiros de viagem.

Àquele que se inclui nessa categoria de viajante, saiba que existem lugares que agregam tantos monumentos e antigas construções religiosas que são capazes de te manter ocupado todos os dia da sua viagem. Duvida? Então, faça as malas e vá conferir!

1. VALE DO KATHMANDU, NEPAL

Entre plantações de arroz, estradas e montanhas se espalham autênticas vilas medievais de onde brotam imagens sagradas e templos centenários. Por todo vale do Kathmandu existem nada menos que sete localidades consideradas patrimônio da UNESCO, entre elas as praças principais (conhecidas como Durbar Square) de Patan, Bhaktapur e da capital, Kathmandu, onde alguns templos e monumentos foram destruídos pelo terremoto de abril. Já a enorme estupa budista Boudhanath permanece majestosa, recebendo milhares de fiéis todos os dias. O templo hindú Pashupati, conhecido por suas cerimônias crematórias às margens do rio Bagmati, também sobreviveu quase ileso à tragédia. Mais do que nunca, o país precisa da presença dos turistas. Que tal ser um deles?

2015-10-28-1446021632-6301475-IMG_9779_edt.jpg

(FOTO: templo Boudhanath, Kathmandu / Clarissa Ferreira)

2. CHIANG MAI, TAILÂNDIA

Considerada a capital cultural da Tailândia, Chiang Mai atrai universitários, mochileiros e nômades digitais de todo o mundo e consegue manter o espírito jovem mesmo com suas raízes fortemente ligadas ao passado. A cidade transborda de templos budistas que datam da época de sua fundação, há mais de 700 anos. Ruínas da antiga muralha cercam parcialmente o atual centro histórico, onde estão muitos dos quase duzentos templos que se espalham pela região. Exemplares centenários como a belíssima Wat Chiang Man, pagoda mais antiga da cidade, as ruínas de Wat Chedi Luang, destruída por um terremoto no século 16, ou o reverenciado Wat Phra That Don Suthep, construído no topo de uma montanha sagrada, fazem de Chiang Mai um importante centro espiritual budista e um destino turístico incomparável.

2015-10-28-1446021782-7413360-IMG_6228_edt.jpg

(FOTO: Wat Phra That Don Suthep, Chiang Mai / Clarissa Ferreira)

3. KYOTO, JAPÃO

Conhecida como a "cidade dos mil santuários", Kyoto é o retrato do Japão antigo e esbanja heranças dos tempos em que era a capital do país e lar do Imperador. Seu valor histórico imensurável fez com que fosse poupada dos bombardeios da Segunda Guerra e não entrasse para lista de possíveis alvos da bomba atômica americana. Assim, incontáveis templos, jardins e santuários xintoístas sobrevivem até hoje em Kyoto, onde a indústria do turismo tem papel de destaque na economia. É difícil para o visitante escolher entre tantas opções de verdadeiras obras-primas das construções religiosas da cidade, mas a menina dos olhos dos turistas é o Kinkaku-ji, o Templo do Pavilhão Dourado, com suas brilhantes estruturas de madeira folheadas a ouro. Outros que não ficam de fora dos roteiros são o emblemático Fushimi Inari Taisha com sua sequência interminável de portões vermelhos montanha acima, e o templo Zen Tenryū-ji com seu belíssimo jardim e sua famosa vizinha, a floresta de bambús de Arashiyama.

2015-10-28-1446021923-6008900-IMG_8370.jpg

(FOTO: Templo do Pavilhão Dourado, Kyoto / Clarissa Ferreira)

2. LUANG PRABANG, LAOS

Sendo o principal destino turístico do país, é de impressionar que a cidade de Luang Prabang tenha conservado até hoje ares sonolentos de um lugar onde o tempo parece passar mais devagar. A charmosa mistura da arquitetura tradicional do Laos com construções herdadas dos tempos coloniais renderam à cidade o título de Patrimônio Cultural da UNESCO, o que ajudou na sua preservação. Construída na pequena península formada pelos rios Mekong e Nam Khan, Luang Prabang ostenta mais de trinta templos e monastérios ao longo de apenas quatro ruas principais, que podem ser exploradas à pé ou de bicicleta. Os famosos Wat Xieng Thong e Wat Long Khoun são apenas alguns exemplos de templos que esbanjam belas estruturas douradas de madeira entalhada e murais cheios de detalhes em cores vibrantes característicos da arquitetura local singular. Aqueles que acordam antes do sol nascer têm uma experiência ainda mais completa da tradição religiosa da cidade ao testemunhar as ruas serem tomadas por uma fila indiana de monges budistas coletando doações de devotos sob as primeiras luzes do dia.

2015-10-28-1446022045-9552808-edit_IMG_4586.JPG

(FOTO: Wat Ho Pha Bang, Luang Prabang / Clarissa Ferreira)

4. BAGAN, MYANMAR

Ao longo dos quase 70km2 que delimitam a Zona Arqueológica de Bagan, se espalham mais de duas mil estupas, templos e monastérios budistas, muitos deles construídos nos séculos XI e XII. A melhor maneira de explorar a região é subir em uma bicicleta elétrica e percorrer o emaranhado de empoeiradas estradas de terra que cortam a planície entre a vegetação verde escura e os templos cor de terra - uma paisagem capaz de tirar o fôlego do viajante mais exigente. Quem opta por fugir dos caminhos mais procurados, tem a sensação de estar explorando ruínas abandonadas, uma vez que vendedores e guias turísticos só conseguem cobrir uma pequena parcela dos milhares de templos. E aos felizardos que chegam entre outubro e março, também existe a opção (bem mais cara, diga-se de passagem) de admirar o esplendor de Bagan do alto de um balão.

2015-10-28-1446022337-7528615-IMG_7441copy_NG.jpg

(FOTO: Pyatada Paya, Bagan / Clarissa Ferreira)

LEIA MAIS:

- O chocante festival hindú de Thaipusam

- O reduto boêmio que sobreviveu à modernização de Tóquio com estilo

Também no HuffPost Brasil:

Casal registra "air kiss" em viagem pelo mundo