OPINIÃO

Serão os e-Sports um verdadeiro esporte?

Pouco a pouco converteram-se num grande mercado com inúmeras possibilidades, tanto para os jogadores como para os espectadores.

03/02/2017 09:46 -02 | Atualizado 07/02/2017 16:55 -02

Jogador profissional num campeonato mundial de videojogos (by Marco Verch via Wikimedia Commons)

Os esportes eletronicos, também conhecidos por e-Sports, eram quase inexistentes em Espanha – assim como eram em França ou no Reino Unido –, mas pouco a pouco converteram-se num grande mercado com inúmeras possibilidades, tanto para os jogadores como para os espectadores e, agora, também para as casas de apostas.

Cresceram tanto a nível internacional que foram criados massivos eventos ao vivo onde os melhores jogadores lutam pelo título de campeão perante milhares de pessoas. Seattle, Los Angeles, Frankfurt, San José e Seul encontram-se entre as cidades com os maiores eventos ao vivo do mundo.

Estes acontecimentos vieram comprovar como os e-Sports captaram a atenção de milhões de pessoas, mas isto faz com que sejam classificados como um desporto? Vamos analisar 2 dos jogos mais populares em diferentes categorias.

Hearthstone: o e-Sport do Azar

Hearthstone: Heroes of Warcraft é um dos jogos mais conhecidos entre os gamers. Em poucas palavras, é um jogo de cartas colecionáveis num videojogo e centrado no universo de Warcraft.

Em Hearthstone enfrentam-se dois jogadores, cada um com um baralho máximo de 30 cartas, onde cada carta tem uma personagem e um poder único. Os jogadores então atacam-se entre eles, até que um derrote o outro. Este jogo pode ser considerado como um e-Sport de azar já que, embora cada jogador escolha o seu baralho de cartas, estas são repartidas aleatoriamente durante a partida.

Quase pode ser feita uma comparação com o poker. No poker, apesar de as cartas serem repartidas de forma aleatória, os jogadores devem de ter e desenvolver certas habilidades na mesa para ter uma vantagem sobre os seus adversários. Em Hearthstone acontece o mesmo. Embora as cartas sejam distribuídas aleatoriamente, os jogadores necessitam de um pouco de conhecimento sobre o poder de cada carta para saber jogá-la e tentar derrotar o seu adversário.

Sim, é certo que este videojogo envolve sorte e azar, mas quanto mais se jogar, menos aleatório será e haverá mais probabilidades de ganhar a partida.

League of Legends: o Videojogo das Habilidades

Outro dos jogos mais populares entre os gamers é o famoso League of Legends, um tipo de videojogo multijogador e que já conta com mais de 100 milhões de jogadores activos por mês. Este videojogo é muito diferente de Hearthstone, já que não envolve sorte ou azar em lado nenhum. Para avançar e ganhar no League of Legends é necessário treinar e desenvolver várias habilidades, tanto físicas como psicológicas.

Um gamer que queira ganhar no League of Legends precisa de treinar a resistência das suas mãos, para uma maior rapidez de movimentos, e do seu cérebro, para uma maior agilidade de acção e decisão.

Igualmente precisa de treinar o seu corpo para aguentar estar sentado durante muitas horas ao longo de um dia, muitas vezes sem pausas para ir à casa de banho ou beber água. No caso de torneios ou eventos, estes geralmente têm pausas para que os jogadores descansem um pouco, mas se for o caso de estarem a jogar online desde da sua própria casa, muitas vezes os jogadores não têm pausas e jogam sem interrupções durante 8-10 horas por dia.

Ou seja, para ganhar no League of Legends, tens de ser ágil mental e fisicamente para poder ultrapassar os obstáculos de cada nível e tens de garantir que tens uma equipa com as mesmas habilidades que tu, para poderes destacar-te entre os melhores do mundo.

Torneios e Eventos de e-Sports em Espanha

Como expliquei anteriormente, devido à popularidade destes videojogos, que cresceu rapidamente em todo o mundo, foram criados torneios e eventos para determinar quem são os melhores jogadores. Com estes torneios e eventos internacionais, os gamers começaram a exigir que os eSports fossem reconhecidos como um desporto profissional que, para muitos, já o é.

Em Espanha já se realizam vários torneios e eventos oficiais onde participam mais de um milhão de jogadores e fanáticos. Entre os eventos mais famosos do país encontra-se o Gamergy na Feira de Madrid, onde se reúnem não apenas os jogadores mais experientes mas também os principiantes para compartilhar a paixão pelo jogo online durante 3 dias. No site oficial é possível comprar os bilhetes de entrada e encontrar todo o tipo de informação útil sobre o evento.

Outro torneio importante, que é relativamente recente, é o ESL Masters que se realiza na Feira de Barcelona. No site oficial deste evento encontra-se toda a informação necessária para participar, seja como jogador ou espectador. Outros eventos populares em Espanha são: o DreamHack Valencia, Tenerife Lan Party e o Euskal Encounter.

Esta rápida e enorme popularidade dos e-Sports levaram operadoras online, como a Luckia e a Bet365, a incluir os videojogos nas suas apostas, como fizeram anteriormente com os desportos virtuais onde é possível assistir aos jogos e apostar neles. Embora partilhem algumas semelhanças, não são a mesma coisa. Nos desportos virtuais, ninguém tem controlo sobre o jogo. Simplesmente aposta-se, vê-se um jogo fictício que dura poucos minutos e espera-se pelo resultado.

Mas são realmente um desporto ou devem ser considerados como um jogo?

Após analisar e ler várias opiniões e diferentes pontos de vista sobre este tema, fica claro que os e-Sports não deveriam ser considerados como um desporto real. Deveriam sim ser considerados como uma competição de habilidades mentais ou, se assim o preferem, como um desporto mental, da mesma maneira que são considerados o poker e o xadrez.

Embora existam muitos paralelismos entre os desportos tradicionais e os e-Sports, o ambiente virtual e a falta de actividade física podem definir estas competições de videojogos como um desporto da mente. O debate sobre se são ou não um desporto real está longe de ter um fim, mas não podemos ignorar o facto de que, no final, o "atleta" ou "desportista" é apenas uma pessoa a jogar a partir do conforto da sua casa, sem uma verdadeira formação desportiva e sem realizar quaisquer treinos físicos diários. Desta forma, os e-Sports não deveriam de entrar no tradicional mundo desportivo.

Praticamente seria uma ofensa para os verdadeiros atletas, que treinam e trabalham arduamente todos os dias da sua vida e seguem um estilo de vida saudável, serem comparados com pessoas que simplesmente passam horas a jogar online.

*Este artigo é de autoria de colaboradores do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o Huffington Post é um espaço que tem como objetivo ampliar vozes e garantir a pluralidade do debate sobre temas importantes para a agenda pública. Se você deseja fazer parte dos blogueiros, entre em contato por meio de editor@huffpostbrasil.com