OPINIÃO

É a hora de popularizar (de vez) as bicicletas no Brasil

24/04/2014 18:07 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:28 -02

Há bicicletas nas ruas, mas poderia haver ainda mais bicicletas nas ruas se nós gostássemos que elas estivessem por lá.

No fundo, no meu entender simplista de quem está adotando a bicicleta aos poucos no cotidiano, tudo o que tange a questão da mobilidade através de bikes nas grandes (e médias. e pequenas) cidades passa pelo fato de que as pessoas não querem aceitar que a bicicleta tem potencial para se tornar um dos meios de transporte de preferência da população. E não é difícil de entender o porquê.

Muita coisa contribui para este cenário:

  • o 1% que as ciclovias representam na malha viária brasileira
  • a falta de preparo dos outros veículos (oi, motoristas) para dividir o espaço das ruas com as magrelas
  • o número reduzido de bicicletários espalhados
  • o terror do atropelamento
  • e, claro, os valores do próprio veículo e dos equipamentos adequados de segurança

No que diz respeito ao último item da lista, estamos diante de um momento que pode se tornar histórico para a mobilidade urbana no Brasil: a MP que deve ser votada em breve na Câmara que retira o IPI do custo de produção destes veículos aumentaria em cerca de 15% as vendas de bikes. Um impulso para o mercado que deixaria as cidades 15% menos barulhentas, poluídas, estressantes e mais saudáveis.

Conversando com um representante da Abraciclo a respeito desta possível mudança de cenário, ouvi o argumento de que já há IPI zero para a produção de bicicletas na Zona Franca de Manaus, no norte do país.

Entendo que seja uma maneira interessante de o governo tentar atrair novos fabricantes para a região e solidificá-la como um polo produtor, mas não me parece sensato que todas as outras centenas de produtores menores espalhados pelo resto do Brasil enfrentem um custoso deslocamento logístico para Manaus para conseguir produzir bicicleta a preços mais atraentes e competitivos. Posso estar sendo simplista novamente, mas acredito que é uma boa oportunidade de repensar este modelo.

Paralelo aos fatos acima, há a mobilização de pessoas, empresas e entidades ligadas à cultura da bicicleta no Brasil, interessadas em fazer com que esta redução do IPI torne-se uma realidade logo que possível. Um abaixo-assinado virtual encabeçado pelo Bicicleta Para Todos faz pressão para que isto aconteça e eu, sinceramente, torço para que estas assinaturas sejam todas recolhidas e enviadas. Por isso deixo abaixo um vídeo que resume bem esta conversa toda.