OPINIÃO

Vale voltar a olhar o Flickr de perto

09/05/2014 11:56 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:28 -02

Há quase um mês venho usando o "repaginado" Flickr em meu smartphone. Antes de tudo, vale deixar claro que sou fissurado no Instagram e apps de imagem no geral. Minha conta do Flickr, criada lá em meados de 2007 estava jogada às moscas. Faltava, a meu ver, um apelo forte ao mobile para que o serviço - muito bom para fotógrafos - me pegasse novamente.

2014-05-08-flickr_1.jpg

Para quem não acompanhou as notícias de abril, com a reformulação o app transformou o serviço em uma rede bem mais completa. Além de ficar muito parecido com o Instagram, com sua página de perfil mais bem apresentada, conta agora com suporte a vídeos (inclusive edição) em full HD e um apanhado de filtros interessantes.

Outro ponto crucial, já que falamos de uma rede de fotógrafos, com a maioria dos uploads em alta qualidade, é o algoritmo de compressão para os smartphones. O carregamento das imagens é ágil, bem apresentado e, ao contrário do Instagram, permite que você dê zoom nas fotos sem nenhuma complicação.

2014-05-08-flickr_2.jpg

Tomei a liberdade neste tempo de testar os filtros e o editor de imagens embutido do aplicativo e compará-lo ao de seu adversário mais popular. O resultado já era esperado. A qualidade final da imagem no Flickr é muito superior. Separei o exemplo abaixo:

Foto do Instagram

Foto do Flickr

Nas duas fotos, selecionei um filtro semelhante e, no Instagram, a melhoria rápida de imagem. Apesar de bonita, a foto do Instagram é mais artificial, enquanto a do Flickr se aproxima muito mais do efeito que eu gostaria para a cena, e também de sua luz natural.

Note que a temperatura da imagem é a diferença mais gritante. Outro ponto que incomoda bastante no Instagram, que felizmente não aparece no Flickr, é a proporção de imagem. Uma é quadrada e limitante, enquanto a outra é mais livre.

Tecnologicamente, diria que a visita ao novo app do Flickr é válida a todos os loucos por fotografia. A ferramenta tem muito mais a oferecer. O desafio, no entanto, é manter o aspecto de rede vivo. Afinal, de nada adianta uma plataforma incrível se você não tiver nada para ser exibido.

Veja abaixo uma conversa que tive com Bernardo Henandez, head do Flickr no Yahoo!:

Bernardo, há quem diga que o novo aplicativo do Flickr apresenta uma mudança de postura da rede, se aproximando mais do Instagram e Vine. Essa é a direção do Flickr, de ampliar sua penetração como uma rede?

Como o Flickr nasceu há 10 anos, se tornou um ecossistema onde o mundo se reúne para compartilhar imagens, melhorar suas aptidões fotográficas e construir relações significativas. Com a nova funcionalidade de vídeo no Flickr 3.0, esperamos aumentar essa experiência para nossos leais usuários e também trazer essa experiência a novos usuários para que compartilhem histórias lindas, inspiradoras e de alta resolução em fotos e vídeos. A adição de vídeo amplia o apelo do Flickr entre os usuários, que são ávidos por compartilhar seu mundo desta forma. Essa é uma outra razão pela qual nossa comunidade de 92 milhões de usuários e 1,86 milhão de grupos vem para o Flickr.

Quantos usuários o Flickr pretende atingir com o novo app? Há uma estimativa/meta de crescimento?

O Flickr passou por um bom ano em 2013 e acreditamos que 2014 será ainda melhor. Temos 92 milhões de usuários em 63 países. Quase 2 milhões de grupos compartilhando 1 milhão de fotos todos os dias, e os uploads de imagens cresceram 170% desde que anunciamos 1TB de armazenamento.

Há uma mudança na tecnologia do aplicativo em relação a versão anterior, como na compressão de imagem do que é enviado diretamente pelo smartphone? Qual a principal vantagem em relação a outros apps?

Além de entregar melhor qualidade para captação e edição de vídeo, a nova versão do app permite que o upload seja rápido e que o usuário aplique os mesmos filtros de imagem no vídeo. O mecanismo de busca também está muito mais inteligente, bem como um melhor sistema de tagueamento automático. Isso permite que o usuário encontre rapidamente o que está procurando, não improta quantas fotos ele tenha. A velocidade na transição pelas fotos também melhorou exponencialmente. Simplificamos a navegação, então é muito mais fácil usar as três funcionalidades principais (feed, câmera e photostream). Por último, estamos ajudando os usuários a descobrir mais sobre fotos com informações expandidas, incluindo onde a foto foi tirada, qual a câmera e lente utilizadas em cada captura e sobre o que é a foto. O compartilhamento com outras redes também ficou muito mais ágil.