OPINIÃO

O terceiro setor descobre o potencial do financiamento coletivo

20/11/2014 11:38 -02 | Atualizado 26/01/2017 21:52 -02
ONOKY - Fabrice LEROUGE via Getty Images

Em apenas 1 ano após seu lançamento, a Kickante (plataforma de crowdfunding com o maior case da história de financiamento coletivo do país, com mais de R$ 810 mil arrecadados em uma campanha) já se tornou a plataforma mais utilizada pelas ONGs brasileiras. Também não é a toa, a Kickante é uma empresa que nasceu da experiência de um dos fundadores com o terceiro setor. Após trabalhar por muitos anos com as maiores ONGs ao redor do mundo, Candice Pascoal decidiu que crowdfunding era o caminho certo para unir o apoio às grandes e pequenas ONGs - um caminho que ela estava disposta a traçar com o apoio de seu irmão, Diogo Pascoal, e uma equipe altamente qualificada no Brasil.

O crowdfunding já é mais bem explorado no exterior. Em 2013, o mercado mundial representou U$ 6 bilhões, com um crescimento de mais de 100% em um ano. E o potencial de crescimento do modelo no Brasil é enorme. "Financiamento Coletivo nada mais é do que a potencialização da sua rede de contatos. Aqui, nós ajudamos as ONGs a usarem técnicas precisas de marketing digital para arrecadar fundos para suas causas", diz Candice Pascoal.

No Brasil, a Kickante vem realizando com sucesso a captação de recursos para as mais de 100 campanhas de terceiro setor lançadas na plataforma. Para a Médicos Sem Fronteiras que atua em mais de 70 países, a captação de recursos tem sido tão bem sucedida que, com apenas 3 campanhas lançadas, já arrecadou quase R$ 200 mil. Já o Greenpeace, mundialmente reconhecido pela defesa do meio ambiente, acaba de lançar a sua terceira campanha e, ao todo, já arrecadou mais de R$ 143 mil para seus projetos. Também foram realizadas campanhas para entidades como WWF, World Vision e Aldeias Infantis, entre outras.

Mas, não é apenas na captação de recursos para ONGs com grande atuação e reconhecimento que o crowdfunding é eficaz, como o único ballet para cegos do mundo, localizado na cidade de São Paulo, que precisava de apenas cinco mil reais para manter suas portas abertas e arrecadou via Kickante alcançando 124% da meta. Ou ainda o Quilombo Solar, para implantação de um sistema de energia solar no Quilombo do Grotão, na Serra da Tiririca, em Niterói. A entidade ainda não alcançou o período de maturação de dois anos, exigido pela legislação brasileira, mas já viabilizou suas atividades graças ao que arrecadou na campanha pelo site.

O sucesso das campanhas na plataforma Kickante se deve em grande parte à tecnologia de ponta, comparável apenas aos gigantes internacionais Indiegogo e Kickstarter, tanto que investidores da China, EUA e Europa já estão negociando a sua expansão. Mas, a Kickante vai além e inovou ao criar o Clube de Contribuição Mensal, onde a ONG pode arrecadar fundos continuamente para seus projetos, e ao lançar dois modelos de campanhas, as campanhas "tudo ou nada" (quem cria recebe apenas se atingir a meta, caso contrário, todas as doações são devolvidas aos seus contribuidores) ou flexíveis (aquelas em que se recebe todo o valor arrecadado no término, mesmo sem ter atingido a meta estabelecida). E mais, também inovou permitindo o parcelamento da doação em até 6 vezes, e adiantando o valor aos criadores sem cobrar taxa extra.

Financiamento coletivo é a forma mais rápida e segura de arrecadar fundos para a sua ONG. Conheça a Kickante e arrecade fundos para seus projetos sociais também.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.

TAMBÉM NO BRASIL POST:

8 ideias bobas que viraram negócios milionários