OPINIÃO

Chega de jogar para debaixo do tapete!

13/04/2015 15:51 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:43 -02
PeskyMonkey via Getty Images

Algumas semanas atrás, fui ao Centro de Referência e Treinamento DST/aids de São Paulo para fazer o "teste rápido de HIV, sífilis e hepatites" (e, de rápido, o teste tem só nome. Na verdade, ele é chamado assim porque o resultado sai em duas horas, diferente de outros, que levam alguns dias).

Lá, vi um universo diferente do que estou acostumado no meu dia a dia. Ou melhor: à luz do dia. Várias travestis e transexuais, enquanto aguardava pelo atendimento.

A gente vive em uma sociedade que joga para debaixo do tapete e longe dos olhos tudo aquilo que incomoda e é "diferente" - e o caso das travestis e transexuais é um desses.

Notei como elas são unidas e como ajudam umas as outras. Mas, ao mesmo tempo, vejo uma triste realidade onde elas não têm vez, nem voz, em meio a tanto preconceito.

Muita gente acha que travesti só sabe se prostituir. Não, cara!

A real é que elas não têm espaço no mercado de trabalho "tradicional". Para sobreviver, muitas recorrem à prostituição. E o irônico é que elas são pagas pelos pais da "família tradicional brasileira", que dão suas escapadinhas na surdina e depois gritam absurdos homofóbicos e transfóbicos aos sete ventos, mostrando-se incomodados com um beijo de amor entre duas mulheres (idosas, para soar mais absurdo) na novela, apenas para manter a aparência de macho alfa.

Precisamos dar mais visibilidade a estas pessoas - sim, pessoas -, respeitá-las e dar as mesmas oportunidades que todos temos. Seja homossexual, hétero, bis, cis gênero etc.

Sou gay, mas minha luta é pelo respeito ao ser humano. Transexuais e travestis, estou com vocês.

(Caso eu tenha dito alguma besteira, me perdoem, mas estou disposto a aprender com vocês.)

VEJA TAMBÉM: