profile image

Tayná Leite

Coach, palestrante, advogada, feminista e mãe do Cacá

Canceriana com ascendente em libra e lua em capricórnio. É também coach, palestrante, blogueira, advogada, feminista e ocasionalmente dona de casa. Já foi professora de italiano, assistente de Papai Noel, vendedora, tradutora, estagiária, gerente e diretora. De São Paulo, vive em Curitiba com um recifense e seu Pug Jerimum. Detesta clichês, rótulos e preconceito. Escreve sem melindres sobre qualquer assunto e criou a Self sonhando com a transformação de mulheres, organizações e do mundo!
Divulgação/Amanda Nunes

'Nem toda mulher sabe parir': A dor e a emoção do meu parto

Pedi, implorei pela cesárea, não como sabemos que ocorre com a maioria das mulheres na chamada hora da covardia que normalmente ocorre quando o trabalho de parto está chegando ao fim. Pedi pela cesárea quando tomei consciência de que eu precisava passar por isso. Que essa dor precisava ser a minha e essa cicatriz que ainda me machuca viria me ensinar algo mais profundo.
26/01/2017 12:58 -02
Alamy

Apesar de você, continuaremos lutando por um mundo com mais igualdade

Então, moça, eu sei que você está muito feliz e acha que eu estou infeliz, mas pode ficar tranquila que eu e tantas outras continuaremos lutando por um mundo onde ninguém complemente ninguém e onde sejamos todos inteiros! Um mundo no qual ser humano nenhum seja discriminado ou julgado pela forma como é mas apenas por suas ações!
26/07/2016 13:46 -03
shutterstock

O feminismo sou eu

Contribua você também. Poste no seu mural #OFeminismoSouEu e ajude a construir um mundo com muito mais liberdade e amor!
26/07/2016 13:42 -03
Russell Monk via Getty Images

Sobre gratidão e a minha vontade de falar

Meu lado (direito e esquerdo) cheio de opiniões está longe de ser um consenso, pois muitos amigos e familiares, se irritam com ele, ainda que, mesmo sem talvez darem-se conta, me amam também por isso (ou apesar disso). É por isso que, após ter ouvido a vida inteira que eu deveria falar menos e aprender a ficar quieta e ter crescido com piadinhas jocosas (e doídas!) sobre isso, falar menos meio que se tornou a minha missão de vida.
26/07/2016 13:38 -03
Arquivo Pessoal

Não, uma menina de 13 anos são sabe o que está fazendo

Olho para a minha foto aos 13 anos, me vejo nesses prints, me vejo nessas meninas e nesses comentários. Sinto profunda compaixão por todas elas. Mas também sinto dor. Muita dor. Sinto um profundo desejo de que elas se encontrem, se amem, se perdoem. E que, se assim o desejarem, assim como eu, possam encontrar um amor saudável que as façam genuinamente felizes, sorridentes e livres. Essa sou eu, aos 13.
18/05/2016 16:44 -03
Mart Klein via Getty Images

Sim. Eu gostaria que meu filho fosse homossexual

Portanto, ao invés de achar automaticamente que seu filho será hétero e que você apenas terá que explicar para ele sobre diversidade, vamos partir da premissa de que ELE ou ELA podem ser homo, hétero, trans, assexuado. E você só saberá mais à frente, portanto é importante que ele saiba que tudo bem ser exatamente do jeitinho que ele é. Que não é estranho, nem anormal, nem errado.
13/05/2016 18:08 -03
Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Como explicar para o meu filho o que está acontecendo com o Brasil?

Vai chegar a hora de você estudar sobre isso em seus livros de história e não sei ao certo como essa história será contada - isso depende provavelmente de quem estiver no poder. Então, meu amor, assim como durante tanto tempo ouvi histórias da época da ditadura -- uma época tão sombria da nossa história e que acabou logo quando eu estava nascendo --, hoje venho te contar o meu sentimento sobre tudo isso que está acontecendo hoje. O sentimento de uma mãe, que já te ama tanto e que sempre lutará para que a história se escreva de forma diferente da que está se desenhando.
18/04/2016 14:20 -03
ASSOCIATED PRESS

O que queremos daqui para frente?

As pessoas dizem que precisamos escolher entre Moro e Lula. Não, não e não! Eu não escolho entre a cadeira elétrica e a guilhotina. Eu escolho o Direito e a Justiça sempre. Eu escolho defender o juramento que fiz há quase 10 anos: "Prometo exercer a advocacia com dignidade e independência, observar a ética, os deveres e prerrogativas profissionais e defender a Constituição, a ordem jurídica do Estado Democrático, os direitos humanos, a justiça social, a boa aplicação das leis, a rápida administração da Justiça e o aperfeiçoamento da cultura e das instituições jurídicas."
18/03/2016 22:56 -03
Reuters

Não estamos buscando soluções políticas, mas sim heróis e mocinhos

Precisamos urgentemente tirar o ódio do discurso e começar a debater dispostos a ouvir e a, ao menos, considerar que as pessoas são muito mais complexas do que gostaríamos. Políticos podem ter sim tirado milhões da miséria e ter criado importantes programas de mobilidade social e, ainda assim, terem se corrompido pessoalmente pelas benesses do poder. Assim como podem ser "honestos", mas favoráveis à tortura.
17/03/2016 12:27 -03
Hugo Martins Oliveira/Flickr

Por que eu continuo não indo para a rua

Eu não vou às ruas com quem apoia a redução da maioridade penal ou o aborto e jamais, nem sob decreto, irei para a rua com quem acredita que um país com tantas desigualdades como o nosso, no qual a maioria da população é diariamente massacrada pelo Estado, esteja como está apenas por culpa do PT.
12/03/2016 12:36 -03
Alamy

Um convite para deixar de negar o óbvio

Convido-vos a parar de negar o óbvio! A parar de comparar o que uma mulher sofre apenas por ser mulher à obrigatoriedade do serviço militar e ao fato de nos aposentarmos 5 anos antes! Convido-vos a parar de dizer que é mimimi achar uma "cantada" algo ofensivo e abusivo. Você não sabe o que é sentir MEDO simplesmente por estar andando de shorts em um dia de calor. Você simplesmente não sabe!No fundo, o convite é para refletirmos. Para termos empatia e solidariedade e entendermos que um mundo no qual metade da população é tratada de forma desigual não pode ser um mundo justo e próspero!
08/03/2016 19:50 -03