profile image

Leonardo Foletto

Jornalista, pesquisador e copyleft

Leonardo Foletto é jornalista (Universidade Federal de Santa Maria, 2007), mestre em jornalismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC, 2009) e doutorando em Comunicação e Informação (UFRGS, 2013-). É editor do BaixaCultura, página focada em (contra) cultura digital desde 2008 e coletivo ad-hoc com trabalhos em guerrilha da comunicação, artivismo e cultura livre. Foi repórter/redator de cultura no jornal A Razão (Santa Maria-RS) e na Folha de S. Paulo (Ilustrada), mas saiu da imprensa diária para dedicar tempo a projetos relacionados a cultura digital e uma comunicação livre. Entrou para a Casa da Cultura Digital São Paulo em setembro de 2010, onde foi um dos tantos que ajudou a construir o Fórum da Cultura Digital (2010), o Festival CulturaDigital.br (2011) e o movimento BaixoCentro. Voltou ao sul em 2013 para cursar o doutorado. Fez parte da Casa de Cultura Digital Porto Alegre e é integrante esporádico do hackerspace Matehackers e do Ônibus Hacker. É autor de “Efêmero Revisitado: Conversas sobre teatro e cultura digital” (2011), livro produzido a partir de uma bolsa de pesquisa da Funarte (Fundação Nacional das Artes) e editor dos zines BaixaCultura, todos disponíveis aqui. É professor visitante na pós-graduação da PUCSP, Unochapecó (SC), Unisinos (RS) e PUCRS.
Reprodução

La Remezcla, um zine sobre remix e cultura livre

Talvez você esteja se perguntando: mas por que um zine e não um livro ou revista? Algumas justificativas são: porque o zine é uma publicação livre, que ocupa o vasto espectro entre simples folhas impressas/xerocadas em qualquer lugar até uma publicação "de artista" com folhas coloridas em altas gramaturas ("grossura" do papel) e formatos ousados.
29/03/2016 15:36 -03
Reprodução

Mídia tática: uma introdução

Em novembro de 2015, apresentei um artigo no II Congresso Internacional de Net-ativismo, em São Paulo, que retomava a ideia de mídia tática, hoje nem tão falada quanto na segunda metade dos 1990 e nos 2000, e a relacionava com a cultura hacker. Fiz uma versão do artigo para publicar na rede como forma de documentar algumas ações efêmeras realizadas nesse período que se perderam na rede. Segue abaixo a primeira parte do texto, com um histórico do conceito e algumas ações da "era de ouro", final dos 1990 e início dos 2000.
22/02/2016 17:12 -03

Contra o copyright (3): wu ming e um maremoto pirata

Na terceira postagem da série "contra o copyright", começada em maio do ano passado, resgato um texto já publicado no finado site Rizoma.net e republicado no BaixaCultura, página de cultura livre que edito, de um coletivo bastante representativo na guerrilha comunicacional dos 90/2000: Wu Ming.
22/10/2015 20:11 -02
cc

Radialistas apaixonados pela cultura livre

O Radialistas Apasionados é um dos grupos mais ativos na batalha em prol da cultura livre no continente latino-americano. Em maio deste ano, eles lançaram uma radionovela sobre o tema, chamada "Utopía va por la libre!", que conta a história de uma banda (Utopia) que se vê no dilema de apostar no "sistema" das gravadoras ou seguir pelo caminho livre através das licenças Creative Commons.
01/07/2015 13:47 -03
baixa cultura

Por que consertar é melhor do que descartar

Vivemos numa cultura em que comprar um novo é muito mais fácil do que consertar o "velho". Cito dois casos extremos: 1) as pernas (alumínio) de sua cadeira de praia estragaram, você quer levar a algum lugar que conserte. É muito provável, como já aconteceu por aqui, que você ganhe como resposta de qualquer lugar que procurar: "mas não vale a pena, compre outra que sai mais em conta". Mas e se eu quero que ela volte a funcionar, independente de "sair em conta" ou não?
28/04/2015 10:33 -03
biphop/Flickr

Cultura livre não significa cultura grátis

Ativista, sim, no uso do software livre, na propagação do conhecimento aberto e das culturas populares através das mídias livres e no desenvolvimento de uma economia baseada em produção orgânica e sustentável. Mas também com um pé criativo na relação com o "mercado", em formas de viabilizar financeiramente a produção da cultura livre, seja através de editais públicos ou de outras formas a serem inventadas, para que não se torne refém de nenhuma forma de financiamento. Buscando, sempre quando possível, relações menos baseada no lucro e mais na colaboração. Utopia? Em construção.
27/03/2015 16:51 -03
divulgação

O fim da privacidade e a ética da transparência

"Todas as paredes vão cair", teria dito McLuhan sobre o fim da privacidade que ele já vislumbrava numa era pré-internet, os anos 1970/80. McLuhan apostou que os computadores - nos anos 1970 rudimentares e "gigantes", bem diferentes dos de hoje - estariam ligados em rede como a fase final das extensões do homem, chamada por ele de "simulação tecnológica da consciência", "pela qual o processo criativo do conhecimento se estenderá coletiva e carnalmente a toda a sociedade humana".
03/02/2015 11:30 -02
reprodução

Turismo industrial e o consumo de lugares exóticos

O turismo industrial de lugares exóticos tem sido um dos últimos movimentos de conquista e consumo do outro por parte do sistema. Com o objetivo de fazer dinheiro, esta indústria produz espaços, significados e experiências a ponto de fazê-los perderem personalidade e singularidade, quando não desaparecerem.
12/01/2015 14:55 -02
divulgação

A bolha invisível (e prejudicial) das redes

Se já não conseguíamos dialogar racionalmente com o do "outro lado" numa discussão na rua, imagina agora, que as redes sociais e seus algoritmos tem potencializado ainda mais nossa falta de capacidade de entender e argumentar politicamente ao nos relegar a "filtros invisíveis".
10/10/2014 11:13 -03