profile image

Karina Buhr

Cantora, compositora, percussionista e ilustradora

Cantora, compositora, percussionista e ilustradora, Karina Buhr começou na música em Recife, em 1992, vivendo toda a efervescência cultural da cidade, tocando em muitas bandas e grupos tradicionais. Integrou o maracatu Estrela Brilhante, o Piaba de Ouro, a banda Eddie, Bonsucesso Samba Clube... Participou de trilhas pra teatro e cinema, em "A Máquina", de João Falcão, "Era uma vez eu, Verônica", de Marcelo Gomes, "Enjaulado", de Kléber Mendonça Filho e outros. Atuou no Teatro Oficina, de José Celso Martinez Correa, entre 2001 a 2007. Tocou com Erasto Vasconcelos, Dj Dolores, Antônio Nóbrega, foi uma das criadoras da banda Comadre Fulozinha, que atuou de 1997 a 2009. Lançou dois discos autorais solo, "Eu menti pra Você" e "Longe de Onde" e prepara o terceiro pra 2015. Em abril lançará seu primeiro livro, "Desperdiçando Rima", pela editora Rocco.
karina buhr

Jogo das ideias

Vozes dissonantes são vistas como inimigas e gente, que é bicho que vai e volta nas ideias o tempo todo, reflete, persegue o que disse pra pensar no que vai dizer, vira gente apagada. Manada é apagada. Pensamento de rebanho, seja de que lado for, só fortalece quem manda em todos.
22/04/2015 10:58 -03
karina buhr

Karina Buhr: 'A rua pode ser na paz do mundo e mulheres fazem parte desse mundo'

Passar batido por uma multidão carnavalesca, sem ser importunada, é uma calma que mulheres não costumam desfrutar. Não estou falando de paquera, flerte, olhar de "que gata", olhar de tesão, de gostosura, de querência. Estou falando de assédio, que significa violência, significa tratar o outro não como um igual mas com uma superioridade violenta, um tanto faz para a conexão que ela sentir ou não.
19/03/2015 16:14 -03