profile image

João Estrella de Bettencourt

Formado em História, é escritor e um dos criadores da revista Economia Rio

Formado em História, é escritor e um dos criadores da revista Economia Rio. Trabalha há anos – desde sua longínqua juventude – nas áreas estranhamente complementares da análise político econômica e da literatura.
Brazil Photo Press/CON via Getty Images

O que Dilma Rousseff me ensinou

Votei em Dilma e a critiquei duramente. Me senti insatisfeito em diversos momentos com a incapacidade da Presidenta em desarmar as bombas que obviamente visavam sua destruição e a destruição de um projeto de governo. Mas nunca senti tanto orgulho do meu voto quanto ao assisti-la no Senado Federal. Teria sido capaz de reconhecer e louvar tal dignidade mesmo num adversário político. Me espanta que tantas pessoas não consigam, agora.
31/08/2016 15:39 -03
ANDRESSA ANHOLETE via Getty Images

O Ministério das armas, do machismo e do atraso

É tanta coisa para dizer que fica difícil. O absurdo desse novo "governo" (governo ilegítimo, falso, inexistente) só pode ser explicado porque ele é composto por quem jamais seria eleito. Só alguém assim seria capaz de se importar tão pouco com tudo o que vem sendo posto na mesa pela sociedade, em décadas. Só alguém que não sabe - nem se importa - com a representatividade popular seria capaz de cuspir na cara da sociedade dessa maneira.
16/05/2016 16:34 -03
mangostock via Getty Images

Vale tudo pelo Brasil ou O discreto charme da burguesia

Sinto uma paz interna ao imaginar que, a partir de agora, seremos governados por homens com a competência e honestidade de um Romero Jucá, um Moreira Franco, um Eliseu Padilha, capitaneados pelo genial Henrique Meirelles na Fazenda. Cheguei a questionar o fato de todos eles terem feito parte de quase uma década de governos do PT, contudo, a dúvida sumiu da minha cabeça rapidamente quando me lembrei de que, dessa vez, eles serão liderados pelo Michel.
12/05/2016 08:45 -03
ASSOCIATED PRESS

Agora sabemos do que o nosso Congresso Nacional é feito

Sim, porque, vendo nossos deputados, fica no ar a pergunta: existe alguma outra forma, que não a mais sombria manipulação política, para levá-los a votar em algo que interesse ao País? Alguém acredita que 80% - vá lá - dos que falaram no domingo tem a capacidade, física até, diria eu, de apostar em um projeto de governo que não esteja ligado a benefícios pessoais? De agir de acordo com o interesse público?
20/04/2016 12:06 -03
Anadolu Agency via Getty Images

Por trás da moralidade está o 'monstro' do autoritarismo

A política partidária pode se degradar. Pode perder o sentido e precisar ser reformada. Refundada até. Mas não pode, jamais, ser negada. Porque ela, com todos os seus defeitos, é humana. Seus erros, qualidades e limites, para o bem e para o mal, são os nossos erros e limites. Quando a abandonamos em prol de ideais inalcançáveis, pela ilusão de que vamos "limpar o país" abrimos as portas da barbárie.
12/03/2016 14:36 -03
REUTERS/Paulo Whitaker

O MP de São Paulo quer ser a nova ditadura brasileira?

Numa sociedade democrática, torna-se crime que um ex-presidente convoque uma coletiva - a qual vai e divulga quem quiser - para se defender? Qual a lógica dessa argumentação, a não ser a de que o MP é intocável e criticá-lo é ato passível de prisão? Hoje o alvo é o ex-presidente Lula, amanhã sabe-se Deus quem será.
11/03/2016 18:42 -03
NELSON ALMEIDA via Getty Images

Justiça que só vê um lado não é Justiça. É golpe.

Eu seria o primeiro a saudar uma ação horizontal, que expusesse o relacionamento espúrio entre o público e o privado, em todas as suas esferas. Mas não é isso que acontece. A maior parte dessa associação, que envolve - profundamente - o PSDB e diversos outros partidos, que envolve grandes empresas, de todos os setores, inclusive de mídia, telecomunicações e bancos, continua à sombra.
04/03/2016 20:39 -03
Divulgação/MBL

Aliados de Cunha e da máfia, PSDBs e Kataguiris querem 'mudar o Brasil'

Qual o sentido de se acabar com um governo utilizando os mesmo métodos que nele se critica? A não ser que o motivo não seja moralização alguma. A não ser que o motivo não seja combate à corrupção. A não ser que o motivo não seja acabar com pedaladas. A não ser que o motivo seja, apenas, tirar o PT do poder porque se discorda do rumo que o partido deu ao Brasil.
11/12/2015 12:33 -02