profile image

Fábio Sasaki

Jornalista, editor do Almanaque Abril

Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero e pós-graduado em Relações Internacionais pela Fundação Getúlio Vargas. Atualmente, é editor do Almanaque Abril e do Guia do Estudante.
Abode of Chaos/Flickr

As ambições globais da China

Já é oficial: no final do ano passado, o FMI confirmou que a China passou a ter a maior economia do mundo. O PIB chinês ultrapassou o dos Estados Unidos, pelo menos em termos de Poder de Paridade de Compra (PPC) - um critério mais consistente para traduzir os custos internos de bens e serviços. Por esta medida, os chineses alcançaram 17,6 trilhões de dólares ante 17,4 trilhões de dólares dos norte-americanos. É verdade que, em termos de PIB real, os EUA ainda estão na frente, mas muitas projeções indicam que essa posição não se sustentará até o final da década.
28/04/2015 19:28 -03
Seiedhamed Mirhosseini/500px

Por que um acordo interessa ao Irã

As negociações sobre o programa nuclear iraniano tiveram um novo capítulo nesta quinta-feira, 2 de abril. O grupo composto pelas cinco potências do Conselho de Segurança mais a Alemanha (conhecido como P5+1), em conjunto com o Irã anunciaram um plano de ação a ser desenvolvido nos próximos meses, com previsão para um acordo final em 30 de junho. A declaração oficial ainda carece de mais detalhes, mas o Irã deverá limitar sua capacidade de enriquecimento de urânio e seu estoque de urânio enriquecido em troca da suspensão das sanções. É verdade que toda cautela é necessária nessas negociações, mas não há dúvidas de que o anúncio representa um enorme avanço.
03/04/2015 12:13 -03
Seiedhamed Mirhosseini/500px

Atenção: este post contém spoilers

Em se tratando de spoilers, nada supera as negociações para se chegar a um acordo definitivo sobre a questão nuclear iraniana. Esses spoilers são tão influentes e múltiplos que chega a ser admirável a assinatura do acordo provisório em Genebra, em novembro de 2013. Tanto é que representantes norte-americanos e iranianos iniciaram conversações secretas oito meses antes, entre outras razões, para isolar os "estraga-prazeres".
10/03/2015 18:22 -03
Getty Images

A Guerra Fria voltou (só que não)

Aceitar passivamente a tese de que vivemos uma nova Guerra Fria é ignorar o fato de que o mundo está mais multipolar e desprezar a importância de outros atores fundamentais na geopolítica internacional.
06/03/2014 11:24 -03
Pete Souza

Irã e EUA têm mais interesses em comum do que parece

Mesmo com toda rivalidade histórica e um antagonismo ideológico que contamina qualquer discussão mais sensata, EUA e Irã ainda compartilham muitos interesses em comum. O reengajamento Teerã-Washington poderia trazer mútuos benefícios em vários temas estratégicos.
17/02/2014 11:29 -03