profile image

Cauê Madeira

Pai apegado, nerd comedido, sofativista radical

Pai apegado, nerd comedido, sofativista radical.
Erik Schepers/500px

30 noites de ficção: P de Pederasta

Era uma missão de busca e apreensão com possibilidade de eliminação em um dos setores da área desabitada e proibida conhecida como Cidade Inglória, ou simplesmente CI. Pascoal era experiente e não se daria por vencido, confiava na intuição e sabia que era Deus operando por meio dele.
13/04/2016 19:48 -03
DAJ via Getty Images

Parem com as panelinhas!

Entenderam porque não gosto muito de panelas? Pois é, cheguei em casa e estava todo mundo do prédio ali, unido, batendo panela. Desculpem, não é pra mim. Não concordo, não acho graça, não acho útil. Pra ser sincero, acho uma bosta, mas se você gosta, não me leve a mal nem me xingue. Até acho bonita essa união.
24/02/2016 11:57 -03
Manav Dhiman

Vou furar as orelhas do meu filho ainda bebê

Aparentemente, para a sociedade de hoje, toda menina precisa ter orelha furada. Se não tem, ela automaticamente é um menino. Perdi a conta de quantas vezes nos irritamos com a confusão dos outros ao chamá-las de "menininho" quando vestiam roupas que não eram rosas. Paralelo a isso, percebemos o quanto éramos forçados a trazer essa cor para dentro de casa, por conta dessa vibe de segmentação por gênero da indústria de brinquedos.
25/08/2015 18:07 -03
luisprado/thenounproject/creative commons

Antes de legalizar o casamento gay, você precisa acabar com a fome do mundo

É melhor que você fique sabendo logo, para não cometer erros gravíssimos novamente, mas antes de legalizar o casamento gay você precisa acabar com a fome do mundo. Só que antes de acabar com a fome, você precisa acabar com a corrupção. Para acabar com a corrupção, é necessário que você vote nas pessoas certas. Para votar nas pessoas certas, veja quem segue os princípios cristãos. Para entender os princípios cristãos, antes você precisa ler a Bíblia. Se não puder ler, deixe que alguém leia para você, por 10% de tudo o que você ganha no mês.
29/06/2015 13:31 -03
luis-prado/the noun project/creative commons

Jesus já voltou, você que não percebeu

Era gay, machão e infeliz. Sofria de depressão, tinha ataques de pânico e, embora verdadeiramente inteligente e letrado em diversas áreas do conhecimento, faltava-lhe discernimento e auto-crítica para curar essa doença. Homofobia é uma mutação do vírus do machismo e, acreditem, mata. Seria passível de dó e compaixão, não fosse um agente repressor.
09/06/2015 15:29 -03
thenounproject/creative commons

O pesadelo escola

Madalena, minha filha mais velha, está pra entrar na escola. O que me dói é ser condizente com esse processo de pasteurização humana que começa com escolas até bacaninhas e acaba por te despejar em um sistema canibal de pretensa meritocracia, foco no vestibular e severamente comprometido em nos tornar completos imbecis.
31/05/2015 16:40 -03
the noun project/creative commons

Os livros digitais me tornaram um 'livrospectador'

Sucumbi de vez aos livros digitais. O problema é que, agora, me vejo dando preferência apenas aos livros acessíveis pelo serviço, deixando de ler o que realmente queria - que infelizmente só é possível consumir via compra individual. Ao invés de leitor, me tornei um livrospectador, relegado a uma série de leituras que não escolhi.
19/05/2015 18:04 -03
IzabelMartinez_TheNounProject

Uma noite no rodízio

Aqui no Sushi é assim. Tem rodízio, o pessoal gosta, mas se não comer tudo o Rubão fica puto da via. Antes pediam muita coisa e sobrava aquela peixarada crua toda. Acabava dando prejuízo, teve um tempo em que rolava a "taxa de desperdício" e se eu não cobrasse do cliente o Rubão descontava dos dez por cento. Hoje em dia não tem mais nada disso, mas se sobra alguma coisa ele vira bicho.
15/05/2015 15:16 -03
TheNounProject_CreativeCommons

Quem é você na fila do like?

Engana-se quem pensa que o like é inofensivo. Arma poderosíssima, mas também reflexo de algo que nós perseguimos e almejamos desde sempre: a aceitação. Por meio dela formamos grupos, facções, alianças, amizades e nos permitimos cair no efeito manada. Abandonamos a decisão consciente e entramos na lógica da maioria. O instinto é deixado de lado por conta de um micro status-quo. Tipo maria-vai-com-as-outras do novo milênio.
08/05/2015 19:36 -03
ClaraJoyTheNounProject/Creative Commons

Cadê o obituário do Lourival?

O país parou quando, da casa no alto da colina, o homem mais velho do mundo deixou para trás seus pertences e familiares e saiu para uma caminhada que se encerrou misteriosamente dentro da farmácia. A expectativa na porta do estabelecimento era grande. O mundo clamava por informações. O que teria acontecido com o velho Lourival? Por que ele finalmente decidira sair de casa? E mais importante, o que comprou na farmácia?
24/04/2015 14:33 -03
ChrisKerrTheNounProject/CreativeCommons

Ditadura Gayzista e o alerta que vem do futuro em uma explosão de glitter

No futuro, a família tradicional como vocês conhecem já não existe, ou ao menos não é mais chamada assim. Diluiu-se no extenso leque de composições familiares possíveis. Heterossexuais, homossexuais, bissexuais, assexuais, crossdressers, travestis, transsexuais, transformistas... Convivemos normalmente, no trabalho, em casa, na rua, em plena luz do dia, sem acanhamento ou repressão. E todos têm direitos iguais, equilibrados. Casam-se, separam-se, criam filhos, dividem direitos e deveres, cumprem seus devidos papeis na sociedade.
10/04/2015 18:26 -03
MarkMathosian/Flickr/CreativeCommons

O primeiro telefonema importante

Eu costumava ficar aos cuidados de minha avó após a escola. Gostava muito de desenhar e rapidamente acabava com todo o estoque de papeis da casa. Assim, ela passou a guardar folhinhas do calendário para rabiscar no verso. Só me entregava uma folha nova quando praticamente todo o espaço em branco disponível estivesse preenchido, tarefa árdua.
01/04/2015 15:29 -03
HannesIversen_CreativeCommons

A fábula do gigante que acordou confuso

Rolava de um lado para o outro em berço esplêndido - pois nada lhe faltava. Deitado por uma eternidade, custou a dormir - se é que se entregara de fato -, e antes que pudesse sucumbir às plácidas profundezas do sonhar, largou a sonolência e se viu desperto num sobressalto. O gigante acordou de péssimo humor.
17/03/2015 10:03 -03