profile image

João Whitaker

Arquiteto, professor da FAU (USP), autor de "O mito da cidade-global"

Graduado em Arquitetura e Urbanismo, e em Economia, é Mestre em Ciência Política pela Universidade de São Paulo (1998), Doutor em Arquitetura e Urbanismo (FAU USP 2003) e Livre-Docente pela FAU USP (2013). É professor, desde 2000, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, onde coordena também o Laboratório de Habitação e Assentamentos Humanos (LabHab). Foi professor de 2003 a 2013, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie-SP. Em 2011/2012, foi professor visitante no Institut de Hautes Études de l'Amérique Latine - IHEAL, Université de Paris 3 - Sorbonne Nouvelle. Autor do livro "O mito da cidade-global: o papel da ideologia na produção do espaço urbano" (Vozes, 2007, esgotado), e coordenador do livro "Produzir casas ou construir cidades? Desafios para um novo Brasil urbano" (FUPAM/LabHab-FAUUSP, 2012), além da autoria de capítulos de livros e artigos. Escreve regularmente no cidadesparaquem.org
EMBARQ Brasil/Flickr

A ciclovia da Paulista: símbolo da reconquista da cidade para as pessoas

A virtude maior de Haddad é de pensar na cidade acima de seu projeto político pessoal. Por isso, enfrentou sem muita hesitação o desafio e começou a implantar, com todas as dificuldades, os erros e a má-vontade dos setores conservadores que isso implica, a priorização absoluta do transporte público e a implementação de um sistema cicloviário à altura do que a cidade merece. Contou com isso com a inestimável ajuda dos militantes da bicicleta. E com o apoio, mesmo que escondido pela mídia, da maior parte dos paulistanos.
03/07/2015 14:41 -03
FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDO

A sagrada propriedade e a maldita moradia na sociedade de elite

Então, no Brasil, é assim: com a fortuna do pai, monte um patrimônio enganando meio mundo mas que o tornará um dos mais ricos do mundo, que mesmo caindo em desgraça e condenado por todos os lados, ainda assim você terá seu "empreendimento hoteleiro" protegido pela Justiça. Mesmo que seja um empreendimento fantasma. Se a Justiça é bem eficiente para cobrar de Eike por suas falcatruas empresariais que prejudicaram ricos e poderosos, ela em compensação não se mostra tão disposta a persegui-lo quando do outro lado os prejudicados são os pobres, negros, imigrantes, que sobrevivem nas nossas metrópoles sem qualquer alternativa de moradia.
22/04/2015 15:35 -03
midianinja/Flickr

A histeria despolitizada com a falta de água

Quando a vaca foi pro brejo (sem água) de vez, assistimos a uma sutil, mas como sempre bem orquestrada, despolitização dos fatos. De umas semanas para cá, a questão da água, ao ler a grande mídia, não é mais um problema do estado de São Paulo, mas do Brasil, senão do mundo. Apressam-se em noticiar que o Rio de Janeiro também está colapsando. Alguns aventaram que a falta de água em SP é causada por desequilíbrios na Amazônia. A seca, sempre ela, ainda é o centro das atenções, embora aos poucos o regime de chuvas de fevereiro e março esteja se instaurando, nem tão fora do normal quanto se anunciou.
11/02/2015 16:35 -02
Gabriel de Andrade Fernandes/Creative Commons

'São Paulo ainda está em tempo de ser regulada para produzir menos segregação e mais espaços de democratização'

No novo Plano Diretor de São Paulo, tivemos um exemplo de como as leis "se adaptam", no caso delas ameaçarem os poderes constituídos, para evitar que sejam aplicadas em seu sentido original. É a tal "Cota de Solidariedade", que gerou uma figura jurídica interessante: faculta-se a obrigação de sua aplicação. Lei deveria ser lei, ou seja, cumprida.
05/12/2014 18:38 -02
Flickr

A revolução é geracional

Há quem fale em conflito de classes, o que em parte é verdade. Mas, acima de qualquer outra clivagem, a que caracteriza e une todos esses fenômenos é mesmo uma só: a mudança geracional. Ela está está pondo pouco a pouco de cabeça para baixo os padrões pelos quais se organiza a nossa sociedade.
24/02/2014 15:16 -03