OPINIÃO

Fertilidade feminina pode ser prejudicada por disfunções na tireoide

14/05/2015 15:46 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02
Reprodução

Estudos comprovam que 2,3% das mulheres que apresentam infertilidade têm hipertireoidismo, contra 1,5% da população em geral. Essa condição também está associada à irregularidade menstrual. Vale ressaltar que tanto o hiper quanto o hipotireoidismo podem desencadear problemas de fertilidade, embora seja possível engravidar mesmo tendo essas doenças. Uma vez tratadas, a fertilidade se restabelece rapidamente.

O problema é que o hipotireoidismo costuma surgir durante a idade reprodutiva da mulher e, quando não tratado, pode causar infertilidade e abortamentos. Outra causa de infertilidade em pacientes com doença da tireoide é a falência ovariana, embora menos comum. Assim com a Doença de Graves e de Hashimoto, essa é uma doença autoimune causada pelas proteínas e células brancas no sangue que atacam outras proteínas no ovário da paciente. Nesse sentido, há uma diminuição relevante do tamanho dos ovários, problemas de ovulação, menopausa prematura e infertilidade.

Com relação ao fluxo menstrual, ele é maior no hipotireoidismo e menor no hipertireoidismo. Os efeitos dos hormônios da tireoide no período menstrual, na função ovariana e no sistema endócrino em geral são complicados. Diante da variação dos hormônios da tireoide, uma série de efeitos no sistema reprodutivo pode ocorrer. Adolescentes que ficam doentes com hiper ou hipotireoidismo durante a puberdade costumam parar de menstruar, por exemplo. Isso requer tratamento imediato.

É importante destacar que disfunções da tireoide são muito comuns na população e afetam vários órgãos. Como acabam comprometendo ovários e testículos, acabam interferindo na fisiologia reprodutiva, reduzindo as chances de uma gravidez e interferindo na gestação e no parto. Embora as irregularidades na menstruação sejam comuns, a ovulação e a concepção ainda assim podem ocorrer quando se tem hipotireoidismo - em que o tratamento com tiroxina restaura o padrão menstrual e administra as mudanças hormonais.

Em resumo, ter conhecimento do status da tireoide no casal infértil é fundamental, justamente por ser um problema importante e ainda assim reversível. Apesar disso, ainda há muito a ser investigado pela Ciência quanto ao impacto das doenças tireoidianas na infertilidade.

VEJA TAMBÉM:

  • Hidratação, sempre!
    Thinkstock
    Com as altas temperaturas, as grávidas precisão tomar muito cuidado com a desidratação. O recomendado é tomar de 2 a 3 litros de água por dia. Para as mais esquecidas, uma ótima dica é sempre deixar uma garrafinha de água por perto. Sucos naturais, com pouco açúcar, e água de coco são bem vindos no cardápio.
  • Sapatos abertos
    Thinkstock
    O inchaço nos pés durante a gravidez é muito comum devido ao aumento de sangue e líquidos no organismo. E, no verão, parece que esse problema duplica. Para acabar com isso, troque os sapatos fechados por sandália abertas ou deixe os pés para cima.
  • Mais leveza
    Thinkstock
    Saladas ou comidas mais leves são uma ótima pedida para os dias de calor intenso. Fora que ajuda a manter o peso. Esses alimentos evitam o estufamento no estômago e indigestão.
  • Protegendo o rosto
    Thinkstock
    Além do risco de câncer de pele, as gestantes podem desenvolver manchas amarronzadas na região das bochechas, devido a exposição inadequada dos raios UVA. Para prevenir, use chapéu com aba larga, viseiras e muito protetor solar.
  • Água geladinha
    Thinkstock
    Pode parecer bobo, mas a dica é muito simples e útil. Molhar os pulsos com água gelada ajuda na circulação do sangue para o corpo todo, além de causar uma sensação de refrescância.
  • Ventinho bom
    Thinkstock
    Ar quente, tempo abafado e pouca ventilação, são alguns fatores que podem causar mal estar. Para resolver esse desconforto, mantenha a casa sempre arejada e com uma ventilação agradável, mas nada de ligar o ar-condicionado máximo e ficar na frente.
  • Produtos para pele
    Thinkstock
    Para manter a pele hidratada e macia, opte por cremes corporais ou óleos específicos para gestantes e passe, pelo menos, duas vezes por dia.
  • Evite banho quentes
    Thinkstock
    O calor da água promove a dilatação dos vasos sanguíneos, provocando a diminuição da pressão arterial. Se for inevitável tomar aquele banho quentinho para relaxar, tome cuidado para não ficar tonta e desmaiar no chuveiro.
  • Use protetor solar
    Thinkstock
    Todo mundo sabe, mas não custa nada repetir: protetor solar sempre, independente da idade e da estação do ano. Os médicos indicam o fator de proteção 30.
  • Tostar no sol, nunca
    Thinkstock
    Sabe aquele rotina, nada saudável, de ficar torrando no sol o dia inteiro? Então, pode esquecer completamente. Além de fazer muito mal, pode provocar queimaduras no corpo já que a pele das gestantes possui um alto nível de estrogênio e o hormônio melanocíto, deixando a pele mais sensível.