OPINIÃO

Comemorando os primeiros 10 anos do HuffPost olhando para os próximos 10

07/05/2015 10:15 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:02 -02
Brian Ach via Getty Images
NEW YORK, NY - APRIL 28: Co-founder and editor-in-chief of The Huffington Post Arianna Huffington speaks on stage during the AOL 2015 Newfront on April 28, 2015 in New York City. (Photo by Brian Ach/Getty Images for AOL)

É o dia 9 de maio de 2005. Um cara chamado Barack Obama está entrando no seu quinto mês como senador. Bento 16 acaba de se tornar papa. "Hollaback Girl", de Gwen Stefani, está em primeiro lugar na parada Billboard Hot 100, e Britney Spears e Kevin Federline acabaram de dizer sim, fazendo juras de amor eterno.

E nasce um site chamado The Huffington Post.

Nós estreamos naquele dia, uma segunda-feira, e a recepção foi definitivamente mista; pelo que me lembro, os críticos faziam fila para dizer que o site não duraria. Uma hora depois da estreia, uma crítica comparou o HuffPost a uma mistura de Ishtar, Heaven's Gate e Gigli. Um ano depois, ela me mandou um email perguntando se poderia blogar para o site. Eu disse que sim, é claro.

Nos dez anos seguintes, fizemos questão de dizer sim sempre que possível, correndo riscos, aceitando desafios e sempre nos considerando um projeto em andamento. No caminho, mudamos dramaticamente, evoluindo constantemente e inovando, mas sem abrir mão do nosso DNA, que desde o primeiro dia tem sido informar e inspirar, entreter e empoderar. Hoje somos uma combinação de uma plataforma global na qual as pessoas - conhecidas e desconhecidas - com algo interessante a dizer podem fazê-lo e uma empresa jornalística global e dona de um Prêmio Pulitzer com repórteres no mundo inteiro. No HuffPost não há hierarquia; na página inicial um post do presidente da França, François Hollande, pode aparecer lado a lado com um post de um estudante universitário com uma ideia interessante.

Eis o primeiro slogan do Huffington Post, quando lançamos o site naquele 9 de maio de 2005: "Entregando notícias e opinião desde 9 de maio de 2005".

Mas já tivemos vários outros slogans desde então, como "Autoexpressão é o novo entretenimento", "Ubiquidade é a nova exclusividade" e "O social é a nova primeira página". A certa altura, depois de muita discussão, meu co-fundador Kenny Lerer prevaleceu, e passamos a nos chamar "O jornal da internet", apesar de há muito tempo termos deixado de ser só isso. Não apenas publicamos notícias e opinião - fazemos muito mais, ajudando as pessoas a levar a vida que querem, não só a vida que têm. Como quando começamos a incentivar as pessoas a chegar ao topo dormindo - literalmente.

Temos lembrado de muita coisa nessa semana de aniversário, mas nosso verdadeiro foco é olhar adiante. É por isso que o tema do nosso aniversário de dez anos é "Os Próximos 10". Para comemorar essa data, estamos apresentando vários projetos especiais, lançamentos e eventos - o alto e o baixo, o sério e a brincadeira --, e todos eles têm algo a dizer sobre de onde viemos e especialmente para onde estamos indo.

Primeiro, temos um novo design para nosso site móvel. Ele é a prova de que acreditamos que o futuro é móvel, e o futuro está acontecendo agora. Queremos oferecer para nossa audiência a melhor experiência possível, e nossa equipe de estrategistas de mobilidade, designers e engenheiros vem trabalhando com nossa agência parceira, a Code & Theory, para que isso aconteça. E, como teremos 15 edições internacionais em 10 línguas até o fim do verão, nosso redesenho permite traduções em todas essas línguas. Isso significa que os leitores do HuffPost de todo o mundo (metade de nossa audiência vem de fora dos Estados Unidos) terão acesso ao melhor do que produzimos e linkamos e tudo o que nossos blogueiros estão fazendo mundo afora. Como sempre, continuaremos aperfeiçoando (e aperfeiçoando e aperfeiçoando) com base no que aprendemos. Redesenhos do site para PCs e para tablets virão em seguida.

Como parte da nossa cobertura de 10 anos, teremos perfis de algumas das personalidades mais influentes do momento, cuja estatura só vai aumentar nos próximos dez anos: a presidente da FCC, Jessica Rosenworcel, a procuradora do Departamento de Justiça Vania Gupta, a ativista anticorrupção e ex-candidata ao governo de Nova York Zephyr Teachout, a vereadora socialista de Seattle Kshama Sawant, a diretora do CREDO Mobile Political Becky Bond, o diretor executivo da Color of Change Rashad Robinson, as ativistas de ataques sexuais Annie Clark e Andrea Pino, a ativista ambiental Karen Driver e o congressista reformador Adam Schiff.

E, como no HuffPost sempre quisemos ir além da conscientização para ter impacto real, fizemos parceria com a CrowdRise para destacar 10 causas com as quais nos preocupamos, de direitos LGBT à questão dos sem-teto, passando por políticas de drogas e pobreza. Conheça todas as causas aqui e considere fazer uma doação para um projeto que ecoe com você.

Para continuar a festa, estamos exibindo vídeos de dez crianças de 10 anos que nasceram em 9 de maio de 2005. Veja a criançada compartilhando suas ideias sobre o HuffPost ("É um jornal no Facebook", diz uma delas), sobre ter 10 anos ("dois dígitos", diz outra) e seus desejos para si mesmas, para as pessoas queridas e para o mundo.

No sábado 16 de maio, no Newseum, em Washington, a equipe que lidera o HuffPost Politics, Ryan Grim, Sam Stein e Amanda Terkel, vai falar sobre a origem do site e algumas das matérias mais importantes que fizemos, incluindo a recente entrevista de Sam com o presidente Obama.

Também estamos lançando uma série com o tema "Os Próximos 10", destacando um incrível grupo de blogueiros, todos eles membros da família estendida do HuffPost e alguns que estão com a gente desde o começo. Pedimos que especialistas olhassem para a próxima década em suas respectivas áreas. Temos Robert Reich sobre desigualdade de classes, Kofi Annan sobre democracia global, Peter Diamandis sobre tecnologia, Craig Newmark sobre ética da mídia, Matthew Cooke e Adrian Grenier sobre sentenças criminais, Christina Aguilera sobre fome, Bill McKibben sobre ação ambiental, Adam Grant sobre trabalho significativo, Glenn Beck sobre a mídia, Eric Schmidt e Jared Cohen sobre conectividade, Marc Benioff sobre inovação e envolvimento cívico, a rainha Rania, da Jordânia, sobre a preservação do progresso moral em meio ao progresso tecnológico, Bishop T.D. Jakes sobre os próximos dez anos na fé e muito, muito mais.

Também é um momento incrível para os vídeos no HuffPost. Desde seu lançamento, em agosto de 2012, o HuffPost Live já acumulou mais de 2,2 bilhões de views, recebeu mais de 28 000 convidados de mais de cem países e ganhou três Webbys consecutivos de vídeo online. Mas é muito mais que números. O HuffPost live pegou os ingredientes secretos que fazem do HuffPost o HuffPost - a leveza e a imprevisibilidade, o senso de ocasião - e os colocou no ar, abrindo a conversa de maneiras que não poderíamos imaginar em 2005. E agora, com o The HuffPost Show, estamos olhando para as principais notícias da semana com um olhar inteligente e satírico, mostrando uma mistura de comentários provocativos, paineis de discussão e entrevistas com convidados como a senadora Elizabeth Warren, Kareem Abdul-Jabbar, Russell Crowe e Tig Notaro.

E estamos redobrando nossa aposta nos vídeos, aumentando nossa oferta original com vídeos de longa duração e documentários e nos aproximando de uma época em que metade do conteúdo do HuffPost terá um componente em vídeo. Entre os destaques está o HuffPost 10, uma série de dez curtas de dez cineastas sobre dez pessoas, coisas e ideias que fazem do mundo um lugar melhor, e sobre o Tem Jeito!, reportagens sobre pessoas que trazem mudanças positivas ao redor do mundo. Também vamos lançar o Culture Shock, baseado em como progredir no trabalho, um tema que vimos cobrindo implacavelmente ao longo do último ano. Mostraremos como as empresas estão inovando os escritórios. Vivemos tempos incríveis, em que mais de 35% das empresas americanas oferecem algum tipo de programa de redução do estresse. Sono e meditação finalmente são vistos como ferramentas de performance, e as empresas estão enxergando que saúde de longo prazo de seus funcionários e sua própria saúde estão muito alinhadas.

Acima de tudo, nos próximos 10 anos estamos determinados a reimaginar o jornalismo com nossa iniciativa global Tem Jeito!, indo além do "se tem sangue é manchete". Vamos continuar cobrindo as crises, as histórias de violência, tragédia e corrupção, mas estamos aumentando dramaticamente nossa cobertura de histórias de inovação, criatividade, engenhosidade e compaixão, porque acreditamos que temos um dever para com nossos leitores de pintar um retrato completo do que está acontecendo no mundo. Fala-se muito que a cobertura da mídia faz com que crimes sejam copiados. Também queremos produzir um jornalismo que inspire a cópia de soluções.

Também estamos muito entusiasmados por publicar a primeira reportagem do HuffPost Highline, nosso projeto de reportagens longas liderado por Rachel Morris e Greg Veis, que vieram da The New Republic há quatro meses: o extraordinário perfil que Duncan Murrel fez de Amaris Tyynisma, uma corredora prodígio de 13 anos que sofre da síndrome de Tourette. O HuffPost Highline vai abrigar histórias ambiciosas e criativas em longo formato - de perfis e ensaios a longas entrevistas e investigações - e, a partir de junho, vamos publicar uma longa reportagem por semana.

Sou grata a todos que são parte do HuffPost desde o primeiro dia: aos nossos 850 editores, repórteres e engenheiros em todo o mundo; aos que eram parte da máfia HuffPost que saíram para construir coisas incríveis; aos bumerangues que saíram e voltaram; aos nossos quase 100 000 blogueiros do mundo inteiro. Juntos eles nos trouxeram até aqui. E sou especialmente grata a todos que leram, viram e compartilharam o que estamos fazendo no HuffPost. Estamos aqui por causa de vocês.

Um brinde aos próximos dez. E fique com essas mensagens de feliz aniversário de alguns membros da nossa família estendida.

Este artigo foi originalmente publicado pelo HuffPost US e traduzido do inglês.