OPINIÃO

100 milhões de obrigados para os membros do HuffPost no mundo inteiro

16/09/2014 11:19 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:12 -02
Dynamic Graphics via Getty Images

Nesta manhã enviei um e-mail para nossa equipe do HuffPost, para dar a notícia de uma grande conquista de nossa companhia -- algo que realmente me emocionou. E vocês, membros da comunidade HuffPost, são o coração e a alma desse feito. Quer vocês tenham publicado blogs ou comentários no HuffPost, compartilhado ou falado sobre uma matéria, ou apenas nos incluído em seus canais de mídia preferidos, vocês são uma parte vital da conversa que iniciamos há pouco mais de nove anos. De verdade, sem vocês não haveria o HuffPost. Por isso, obrigada por fazerem parte desta jornada excepcional -- uma jornada que ainda tem muito caminho a percorrer. Vejam o e-mail que enviei para nossa equipe:

Membros do HuffPost,

Hoje estou muito feliz em transmitir a notícia de um grande marco no HuffPost: em agosto atingimos 115 milhões de visitantes únicos (VUs) globais -- a primeira vez que superamos 100 milhões de VUs na pesquisa da comScore -- o que nos torna o site de notícias número 1 nos Estados Unidos (é claro que nosso número interno, 368 milhões de VUs, é muito maior). Os dias preguiçosos do verão não nos afetaram! Agosto também foi o quarto mês consecutivo em que o HuffPost foi reconhecido como o maior publicador no Facebook, com mais que o dobro de ações sociais que o segundo maior participante. Em cada área importante de crescimento do setor de mídia -- social, celular, vídeo, nativa e global --, o HuffPost continua na liderança.

Devo dizer que essa notícia me causou muito mais emoção do que as estatísticas da comScore costumam causar. É a mesma sensação que tenho quando entro em nossa redação e vejo que um grupo de cinco pessoas se tornou uma equipe de centenas, ou quando visito uma de nossas 11 florescentes edições internacionais. É uma combinação de gratidão, alegria, satisfação pelo que realizamos, surpresa de como tudo foi tão rápido, saudade dos primeiros tempos, quando comemorávamos cada pequeno aumento de tráfego, e prazer por saber que sem dúvida nossos melhores dias ainda estão por vir.

Lembro-me da primeira vez em que o Yahoo apresentou um de nossos blogs em sua homepage e o nosso tráfego disparou. Paul Berry, nosso diretor de tecnologia na época, estava obcecado por estatísticas e ficou tão entusiasmado que me preocupei com sua saúde (foi antes de ele se tornar viciado em exercícios e em SoulCycle). Ou a época em que Perez Hilton colocou um link para um blog de Ryan Reynolds e centenas de milhares de novos usuários foram apresentados ao HuffPost. Ou os números malucos que a saga de Tiger Woods trouxeram para nossa recém-nascida seção de Esportes.

Lembrei do modo como comemoramos quando atingimos 1 milhão de VUs pela primeira vez, e depois a ascensão constante na tabela da comScore -- 5 milhões, 10 milhões, 15 milhões --, afastando qualquer dúvida que restasse sobre se conseguiríamos ser mais que um nicho e superando os mais famosos canais de notícias.

E a cada passo do caminho nos recusamos a cair no dilema do inovador, ao constantemente evoluir, inovar e reinventar aspectos vitais de como nós criamos The Huffington Post, enquanto permanecemos fiéis aos valores centrais que fizeram o HuffPost, como:

. Usar a narrativa para incluir vida nas estatísticas, dando uma face humana aos números.

. Encontrar o assunto principal escondido e colocá-lo no alto da página.

. Compromisso com a transparência.

. Confortar os aflitos e afligir os confortáveis.

. Deixar de ver todas as questões através do esquema desgastado de "direita versus esquerda".

. Reconhecer a importância de integrar serviço a nossas vidas.

. Ajudar nossos leitores a viver com menos estresse e mais significado.

. Adotar opiniões, atitudes e pontos de vista, e não fingir que toda história tem dois lados ou que a resposta sempre será encontrada no meio.

. A crença de que, tratando-se das notícias mais importantes do dia, precisamos de mais biópsias e menos autópsias.

. Ser sérios sobre o que fazemos enquanto não nos levamos demasiadamente a sério. Como evidenciam tantos de nossos títulos e destaques, "divertido" e "importante" não precisam ser mutuamente exclusivos.

Essas são as coisas a que recorremos constantemente, enquanto continuamos de maneira obsessiva a inovar, a desenvolver ferramentas e estratégias avançadas e a buscar novas plataformas e maneiras de contar uma história para alcançar novos públicos e melhor servir ao nosso atual.

A história de passar de 1 VU para 115 milhões de VUs em pouco mais de nove anos, é claro, é a história das pessoas que fizeram o HuffPost, cuja criatividade, compromisso, paixão e determinação alimentaram nossa evolução e nosso crescimento. Pessoas como nosso editor-fundador, Roy Sekoff, que estava lá antes do primeiro dia e, como presidente da HuffPost Live, continua agitando e inovando (com 1,7 bilhão de visitas e uma estante de prêmios para comprovar). E pessoas que hoje possuem (ou venderam no eBay) sete, oito ou nove suéteres do Natal do HuffPost, como Arthur Delaney, David Flumenbaum, Nick Graham, Ryan Grim, Jason Linkins, Nico Pitney, Nicholas Sabloff, Danny Shea, Whitney Snyder, Sam Stein, Anya Strzemien e Stuart Whatley -- antigos membros do HuffPost que ajudaram a definir o site e continuam transmitindo seu conhecimento para as novas gerações de editores, repórteres, engenheiros e produtores.

E, é claro, eles foram acompanhados por centenas de outros, incluindo uma linhagem de grandes novos líderes que, juntamente com todos vocês, ajudaram a abrir caminho para as próximas grandes conquistas -- começando por nosso fabuloso CEO, Jimmy Maymann, e o igualmente fabuloso trio: o diretor de tecnologia Otto Toth, a editora-gerente Kate Palmer e a editora nacional Katie Nelson.

E não se enganem: outras grandes conquistas virão. Como eu disse, nossos melhores dias estão por vir. Você pode ver isso em nosso compromisso com expandir muito nossos esforços em vídeo, em produzir uma experiência móvel de ponta, em plataformas sociais e no envolvimento social e a levar o HuffPost para cada vez mais mercados internacionais (que hoje respondem pela metade do nosso tráfego total).

Os 115 milhões de visitantes únicos foram uma realização incrível. Mas isto tem a ver com muito mais que números. Tem a ver com uma conversa que cresceu para incluir vozes que teriam passado despercebidas, e um movimento maior construído em torno de não apenas contar histórias, mas de modificar vidas.

Obrigada por tudo o que vocês fizeram -- e tudo o que fazem -- para continuar cumprindo nossa missão principal. O esforço que todos vocês dedicam e a qualidade do trabalho que vocês constantemente oferecem são inspiradores -- e profundamente apreciados.

Não posso esperar para enviar o e-mail dizendo que atingimos 200 milhões de VUs! Agradeço a vocês por tudo isso.

Arianna

Siga Arianna Huffington no Twitter.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.