OPINIÃO

Neymar ou Messi: só um deles será deus nesta Copa!

25/06/2014 17:56 -03 | Atualizado 26/01/2017 21:45 -02
Getty Images
Barcelona's Argentinian forward Lionel Messi (L) and Barcelona's Brazilian forward Neymar da Silva Santos Junior arrive at a training session at the Sports Center FC Barcelona Joan Gamper in Sant Joan Despi, near Barcelona on March 31, 2014 on the eve of their UEFA Champions league quarterfinal first leg football match FC Barcelona vs Atletico Madrid. AFP PHOTO/ JOSEP LAGO (Photo credit should read JOSEP LAGO/AFP/Getty Images)

Passadas três rodadas do início da Copa, já é possível arriscar quem será a grande estrela deste Mundial. E a resposta está entre o brasileiro Neymar Jr. e o 'hermano' Lionel Messi, da arquirrival Argentina. A bipolaridade na disputa é justa pelo que ambos fizeram por suas seleções até o momento, além da artilharia compartilhada da competição, com quatro gols para cada em três jogos.

Neymar e Messi carregam os respectivos escretes nas costas. É um toque primoroso, um drible desconcertante, uma arrancada imparável, um chute certeiro e GOL. Os dois estão batalhando ponto a ponto, quesito a quesito, e elevando o nível do futebol-arte. A Copa, que por si só está enlouquecendo os fãs com belíssimos espetáculos e ambiente receptivo dos anfitriões, poderá ser lembrada pelo grande duelo entre os camisas 10 da seleção canarinha e albiceleste. E o sonho de todos é vê-los no confronto direto da decisão marcada para o Maracanã, no dia 13 de julho. Será? Ao que tudo indica, Messi fatalmente estará lá. A chave, na qual está a Argentina, mostrou um caminho mais fácil até a final, encarando seleções sem muita tradição, como Suíça e, depois, Bélgica e Estados Unidos. Certamente difícil, apenas a Holanda de Robben e Van Persie em uma possível semifinal.

Do lado brasileiro, o chaveamento colocou à frente equipes mais valentes, ao bravo estilo sul-americano de uma Copa América, como o velho conhecido Chile e, caso avance, Uruguai ou Colômbia (que vem apresentando um futebol brilhante). Em uma eventual semifinal, a poderosa Alemanha e sua aplicação tática. Tanto de um lado quanto de outro, Neymar e Messi estão acima de alguns outros jogadores diferenciados, ou seja, são 'marcianos' da bola. De resto, os elencos se assemelham e equivalem aos seus concorrentes.

E quem deverá se sobressair quando estiverem cara a cara? Impossível cravar. A genialidade de um artista é imprevisível, assim como o resultado final da partida, especialmente se tratando de uma final de Copa do Mundo. Então, veremos se alguns fatos podem elucidar algo. Em 2009, quando Neymar engatinhava no profissional do Santos, Messi foi eleito pela primeira vez o melhor do mundo (atualmente, ele tem quatro destes títulos por suas performances no Barcelona-ESP). Embora desde 1993 a Albiceleste não levante um troféu importante no profissional, Messi desbancou o Brasil na semifinal olímpica, em Pequim, 2008, e ganhou o ouro. Já Neymar, naufragou com o técnico Mano Menezes no jogo derradeiro contra o México, em Londres 2012.

Messi (27) é mais velho do que Neymar (22), porém o brasileiro é o goleador mais novo a alcançar o marca de 35 gols feitos pela Seleção, superando inclusive Pelé, em 52 partidas. Messi tem 40 tentos em 88 jogos. A média do brasileiro é melhor (0,67 contra 0,45 do argentino). Talvez Messi seja mais cirúrgico nas assistência, uma vez que Neymar seja superior nas acrobacias.

Na seleção adulta, Messi pastou para reverter a imagem negativa junto ao fanatismo portenho de que não se entregava em campo, pois nunca atuou por um time local, questão importantíssima junto à opinião pública futebolística na Argentina. Tardou duas Copas (2006 e 2010) e mais uma eliminatória (com a ascensão do técnico Alejandro Sabella) para superar a impressão e se tornar o salvador da pátria. Enquanto isso, Neymar era declarado, desde a sua primeira partida na Seleção, em 2010, pós-Copa da África (isso porque o técnico Dunga resistiu em convocá-lo), como o futuro do Brasil. Em junho de 2012, a seleção sub-23, em preparação à Olimpíada, enfrentou o time principal da Argentina em Nova Jersey, EUA, e perdeu por 4 a 3. No duelo pessoal, Neymar sucumbiu a Messi, que marcou três gols, sendo o último o da virada, aos 39 minutos do segundo tempo. O brasileiro não balançou as redes.

Na verdade, os fatos nada esclarecem, só aumentam as dúvidas, e fortalecem a certeza de que os dois jogadores lutarão pelo título do Mundial. O jogo só termina com o soar do apito. Até lá, uma mágica destes artistas da bola pode mudar o placar final. E um deles será enaltecido como deus do futebol ao erguer a taça.

Acompanhe mais artigos do Brasil Post na nossa página no Facebook.


Para saber mais rápido ainda, clique aqui.


MAIS COPA NO BRASIL POST: