OPINIÃO

Homem comum, preso especial

Se Eike Batista morre nesse barril de pólvora que é o sistema carcerário, o País será privado de revelações que podem passar a limpo a vida nacional.

03/02/2017 09:32 -02 | Atualizado 05/02/2017 22:26 -02
Ueslei Marcelino / Reuters

Como ainda tem gente aqui pelo feici búqui dizendo que o Eike Batista tinha que ficar numa cela comum, com um bando de presos comuns, eu resolvi escrever sobre isso.

Em cela comum, tudo bem, mas com presos comuns, jamais.

Eike Batista é um homem como outro qualquer, seu dinheiro não o faz melhor que nada nem ninguém, principalmente em quesitos morais.

Mas preso comum definitivamente ele não é.

Não pode ser considerado preso comum um homem que teve nas mãos um governador de estado e provavelmente muitos outros do mesmo quilate, ou até maiores.

Se ele morre numa rebelião nesse barril de pólvora que é o sistema carcerário, o País será privado de revelações que podem ajudar a passar a limpo a vida nacional.

Cela comum para Eike, mas de preferência sozinho, e vigiado de perto, porque ninguém sabe do que é capaz um homem que de sétimo mais rico do mundo, se vê de repente comendo farofa na quentinha e fazendo cocô num buraco no chão.

*

P.S.1: A melhor coisa dessa eleição para a Presidência da Câmara é que o Bolsonaro só teve quatro votos.

P.S.2: Se você está lendo isso também na minha linha do tempo, é porque não comemorou a morte de Dona Marisa Letícia

Acesse meu blog aqui

*Este artigo é de autoria de colaboradores do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o Huffington Post é um espaço que tem como objetivo ampliar vozes e garantir a pluralidade do debate sobre temas importantes para a agenda pública. Se você deseja fazer parte dos blogueiros, entre em contato por meio de editor@huffpostbrasil.com.

Carros de Eike Batista vão parar na garagem da PF