OPINIÃO

Não é papel da educação submeter-se à realidade

19/04/2016 10:19 -03 | Atualizado 26/01/2017 22:53 -02
ricardoromanoff/Flickr
monumento em homenagem a paulo freire, esplanada dos ministérios

Paulo Freire nunca foi idealista, no sentido de propor uma prática educativa utópica e irrealizável. Por isso ele alertava para a necessidade de tomarmos consciência de que estamos sempre condicionados pela realidade.

Mas se a realidade está em permanente transformação, é preciso também ter a consciência de que as condições concretas condicionam, ou seja, impõem limites, mas não determinam a prática.

E um dos papeis da educação é justamente superar desses limites. Porque se não tem sentido negar a realidade, também não é papel da educação submeter-se a ela.

Veja mais no vídeo

LEIA MAIS:

- Ensinar exige a consciência da imperfeição humana

- Como são forjados os mitos políticos?

Também no HuffPost Brasil:

Casamento gay é aprovado e os EUA comemoram