OPINIÃO

Viva o presidente Raij Volsonaro!

23/11/2015 12:58 -02 | Atualizado 27/01/2017 00:31 -02
Estadão Conteúdo

Brasil, janeiro de 2035.

Compatriotas,

Comemoramos hoje o décimo aniversário de nossa gloriosa República Federativa Volsonárica do Brasil.

Ocorrem por todo o país desfiles cívicos nos quais as armas de nosso glorioso exército são expostas ao povo, mostrando que estamos seguros contra qualquer investida de nossos inimigos fronteiriços das terras bolivarianas.

Nosso Líder Supremo, o Mito, o Comandante-em-Chefe, o camarada Riaj Volsonaro discursou de modo enérgico:

"Enquanto houver um petralha vagabundo, um comunista de merda, ou qualquer um desses tipinhos circulando em nossa pátria, eu afirmo, não podemos descansar.

O preço da liberdade é a eterna vigilância!

Caso você desconfie que algum parente, vizinho ou colega de trabalho está propagando as ideias de esquerda em nosso país, é seu dever patriótico entregar essa criatura para as autoridades competentes.

Os nossos rapazes da Polícia das Ideias e dos Costumes, que são o batalhão avançado de nossa gloriosa revolução, saberão o que fazer"

Faz-se mister relembrar os eventos que levaram à Revolução Volsonárica

Primeiro construiu-se uma inabalável aliança entre os grupos defensores da família, da ordem, do trabalho e dos costumes.

Líderes católicos e evangélicos, nacionalistas de tendências militaristas, higienistas sociais, anticomunistas incansáveis, entre outros, formaram uma poderosa bancada no podre Congresso Nacional pré-revolucionário.

Nossas ideias foram sendo incorporadas de maneira paulatina nas mentes de nossos cidadãos.

Primeiro proibimos o casamento entre depravados.

Família é aquilo que Deus definiu: a união entre homem e mulher. No Código da Família Brasileira isso está claro em seu artigo segundo, quando o legislador afirma: "Órgão excretor não reproduz".

Nossas mulheres também foram proibidas de trabalhar. Como disse nosso grande líder em seu discurso do dia das mães: "A mulher tem dois papéis em nossa sociedade: satisfazer os desejos sexuais de seus homens e criar de maneira apropriada seus filhos".

Outro passo importante foi a aprovação do Projeto de Cura Gay.

Os pais que identificam elementos de pederastia em seus filhos, passaram a ser obrigados a encaminhá-los para o Ministério da Saúde , que os encaminham para uma das centenas de clínicas especializadas em extirpar o vírus gay de nossas crianças.

Hoje, muitos dos mais destacados camaradas do Partido Volsonárico da Revolução Permanente vieram dessas clínicas.

Outro passo fundamental foi Projeto de Lei sobre o Porte de Arma para os Cidadãos de Bem.

Desde então cada cidadão brasileiro de bem é obrigado a carregar ao menos uma arma consigo. As taxas de criminalidade passaram a cair brutalmente, como atestam as estatísticas oficiais. Milhares e milhares de vagabundos são mortos ano a ano, graças a atitude corajosa de nossos compatriotas.

Todos esses pequenos passos legislativos foram fundamentais na vitória de Riaj Volsonaro nas eleições presidenciais de 2022.

Ao assumir o poder, nosso grande líder desmascarou a infiltração comunistas em nosso Executivo, Legislativo e Judiciário.

Foi essa a época dos expurgos dos elementos socialistas de nossa administração pública.

Levados para os Campos de Reeducação pelo Trabalho, esses ratos tiveram a chance de ser redimir. Os que não aceitaram a verdade foram sumariamente fuzilados. E suas famílias foram obrigadas a pagar ao Estado o custo da bala, como bem obriga nossa Constituição Revolucionária.

Nosso líder tentou de maneira democrática convencer todo o país da justeza de suas teses. Mas o apelo de nosso presidente à razão não foi o suficiente. Comunistas, maconheiros, pederastas e outros elementos nocivos ainda faziam suas propagandas, contaminando a mente de nossos jovens.

Foi quando, sem alternativa, que nosso líder Volsonaro de início à Revolução do "Like" (hoje oficialmente chamada Revolução Volsonárica). O nome anterior fazia referência a uma extinta rede social chamada de Facebook. Lá, identificou o governo, estava a vanguarda do Volsonarismo. Camaradas destemidos, que não tinham pudores em defender de modo explícito e ininterrupto as ideias de nosso líder. Com a aprovação do Novo Marco Civil da Internet, nosso presidente pode identificar cada um desses soldados e convoca-los para se juntarem ao Exército Libertador.

Como bem sabemos, os elementos comunistas são efeminados e incapazes de enfrentar nossos homens. Em menos de 48 horas o país estava sob nosso controle.

Foi como declarou nosso líder em seu discurso da vitória:

"O erro fundamental do governo patriótico de 1964 foi o de torturado, em vez de ter matado esses elementos perniciosos. Nós estamos aqui terminando o trabalho iniciado por aqueles grandes homens.

Não cometerei o erro do herói Pinochet: não se pode executar poucos, é preciso executar a todos os inimigos do povo!

Eu prefiro um cemitério cheio de comunista, do que uma criança brasileira doutrinada pela esquerda.

Venceremos!"

E como nos tornamos um país melhor desde então!

Não há mais viados e nem comunistas em nossas ruas. Depravações como a Parada Gay são a lembrança vaga de um tempo em que nossa pátria estava perdida.

A imprensa sob rígido controle estatal, mostra de maneira ininterrupta os discursos de nosso grande líder. As novelas agora ensinam os valores cristãos-patrióticos para nossas crianças.

As artes também estão sob o controle do Ministério da Cultura, da Moral e dos Bons Costumes.

As Universidades estão livres do vírus comunista. Temos agora uma escola sem partido. Cursos como Filosofia e Sociologia, que só serviam para deturpar o caráter de nossos jovens, foram sumariamente fechados.

O racismo também é passado. Nossos compatriotas de cor negra - que são quase tão bons quanto as pessoas normais - têm praticamente os mesmos direitos que nós. É revigorante ver as pessoas dessa raça em suas escolas, seus hospitais, seus parques, etc., tudo construído pela bondade de nosso grande líder.

Não nos enganemos, ainda um longo caminho à frente, mas a vitória final será nossa.

Viva a Pátria! Viva a Revolução! Viva Volsonaro!

Jorge Orwell, Ministro da Verdade.

SIGA NOSSAS REDES SOCIAIS:


VEJA MAIS SOBRE POLÍTICA NO HUFFPOST BRASIL:

Bolsonaro não leu a Declaração Universal de Direitos Humanos