OPINIÃO

Uma decisão de estilo de vida

05/02/2014 10:31 BRST | Atualizado 26/01/2017 20:51 BRST

Antes de iniciar, gostaria de me apresentar: sou Alessandra França, 28 anos, paranaense, administradora, casada. Quando criança, minha família mudou-se para Sorocaba, interior de São Paulo, para buscar novas oportunidades de trabalho em razão das dificuldades do campo. É uma honra poder compartilhar minhas vivências através do Brasil Post. Nosso primeiro assunto: estilo de vida.

Nos últimos anos, muito se escuta sobre estilo de vida, missão pessoal e metas. Percebo que muitas pessoas se questionam sobre sua contribuição para o mundo e principalmente se sua atividade produtiva, o seu trabalho, agrega valor para a sociedade e tem significado.

Acredito que este questionamento, presente no mundo, e comum na geração Y, colaborará de alguma maneira para a minha escolha de vida: empreender um negócio social, o Banco Pérola. Este empreendimento institucionaliza e exemplifica sobremaneira a minha missão de vida: construir um modelo de negócio financeiro diferente.

Mas afinal, em poucas palavras, o que é o Banco Pérola? É uma ONG Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) focada na oferta de microcrédito orientado para pessoas que não têm acesso ao sistema financeiro tradicional.

Aliados à geração e ao momento do mundo, alguns outros fatores somados contribuíram para o surgimento do Banco Pérola: influencia familiar, organizações sociais (Projeto Pérola e Artemísia) e a leitura de um livro: o "Banqueiro dos Pobres", de Mohamed Yunus.

Minha intenção é compartilhar a jornada de desenvolvimento da ideia, criação e dia-a-dia do Banco Pérola. Tentarei descrever os momentos engraçados, de superação e aceitação, enfim, os bastidores de uma organização de jovens para jovens.

Que esse seja o início de uma bela e produtiva troca.