POLÍTICA
01/02/2018 14:07 -02 | Atualizado 01/02/2018 14:10 -02

Brasil é o país que menos acredita ter democracia plena na América Latina

Segundo pesquisa da Latinobarómetro, Brasil também é o que mais acredita que o governo governa para um grupo específico.

NurPhoto via Getty Images
O governo brasileiro é o que tem a menor aprovação da América Latina, 6%.

O Informe 2017, do Latinobarómetro, divulgado esta semana, mostra que, entre 18 países da América Latina, o Brasil é o país que:

- Menos acredita ter uma democracia plena;

- Mais acredita que o governo governa para um grupo específico;

- O governo tem a menor aprovação,

- Menos confia no governo, e

- Menos confia nos partidos políticos.

Apesar dos dados negativos, o Brasil também é o país que teve a maior recuperação na crença na democracia. Depois de ter perdido 22 pontos percentuais, entre 2015 e 2016 - período em que ocorreu o impeachment de Dilma Rousseff -, o índice chegou a 43%.

Ainda assim, está abaixo da média dos países da região, que é de 53% - taxa considerada baixa e sem melhora nos últimos anos, apesar do crescimento econômico registrado na área.

Quanto aos latino-americanos, a indiferença em relação ao tipo de regime cresceu para 25% de 23%, em 2016. Ou seja, para um em cada quatro não importa o regime.

Esse desencanto com a política está gerando consequências para a democracia.Instituto Latinobarómetro

O quão negativo?

Em uma escala de 1 a 10, na qual 1 é não-democrático, o Brasil é o que aparece com menor índice, 4,2. O Uruguai lidera, com mais democracia, com 6,8.

Os brasileiros também são os que mais acreditam que o governo governa apenas para um grupo de poderosos.

E essa constatação é seguida da de que o governo brasileiro é o que tem a menor aprovação da América Latina, 6%.

Esse índice desde 2002, quando a série histórica passou a ser construída, nunca foi tão baixo. Em 2016, foi de 22%. E teve o ápice em 2010, no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, com 86%.

Consequentemente, a confiança no governo também é a mais baixa, com índice de 8%. A média da região é de 25%.

O descrédito é visto ainda na confiança nos partidos políticos, com índice de 8%, também o mais baixo da região. A confiança no Congresso só é maior que a dos paraguaios, com índice de 10%, diante 11% dos brasileiros. A média da região é de 22%.

Essa situação reflete o fato de os brasileiros serem os mais mencionam a corrupção como um problema mais importante do País, com 31% das menções.

Eleições

O estudo constatou que em toda América Latina a esquerda tem perdido a superioridade que teve por volta de 2010. As últimas eleições em países vizinhos mostraram que os cidadãos estão mais propícios a alternar o poder.

Além do Brasil, Costa Rica, Colômbia, México e Venezuela têm eleições presidenciais este ano.

"Essas cinco eleições ocorrem em um cenário eleitoral complexo, com alto número de candidatos, com sistemas de partidos debilitados, com grande número de novos movimentos e com lideranças independentes. Sem dúvida, o sistema de partidos está em xeque em uma grande parte de países da região", analisa a pesquisa.