COMIDA
08/01/2018 18:19 -02 | Atualizado 12/01/2018 17:50 -02

8 alimentos que parecem ser saudáveis, só que não

Eles parecem ser saudáveis e práticos, mas escondem doses cavalares de açúcares e gorduras.

Getty Images/iStockphoto
healthy snack, muesli bars with raisins and dried berries on a black background

Se alimentação saudável faz parte de suas resoluções para 2018, você precisa estar mais atento do que imagina. Isso porque muitos produtos industrializados que se vendem como "milagrosos" por terem versões diet e light escondem doses de açúcar, gordura e sódio em excesso.

A Proteste, Associação de Consumidores, alertou os consumidores para o limite de consumo dos produtos industrializado, inclusive aqueles ultraprocessados.

Juliana Dias, técnica e representante da Proteste, aconselha atenção redobrada aos rótulos dos alimentos. "Se o consumidor quiser consumir industrializado, a recomendação é olhar os ingredientes", disse. Ela explica que os ingredientes do produto são citados em ordem de maior quantidade, ou seja, se os primeiros ingredientes forem açúcar, sódio e gorduras, o produto está longe de ser saudável.

A técnica da Proteste cita o Guia Alimentar da População Brasileira, que aconselha brasileiros a preferir os alimentos in natura ou minimamente processados. "A gente costuma dizer que se há muitos ingredientes com nomes estranhos não é um bom sinal, pois normalmente são nomes de corantes e conservantes", acrescenta Dias.

Veja abaixo os produtos que são "falsos saudáveis", segundo estudo da Proteste:

Barrinha de cereal

Fascinadora via Getty Images

Fáceis e práticas, elas são a opção de muita gente na hora em que a fome bate em horários alternativos. Apesar de algumas marcas anunciarem que as barrinhas são ricas em fibras (fundamentais pelo bom funcionamento do intestino e para regular a saciedade), elas apresentam teores abaixo do esperado. Além disso, são ricas em sódio e açúcares.

Em teste realizado pela Associação de Defesa do Consumidor, com barras de cereal, foram identificados também conservantes que podem aumentar a quantidade de lipídios e gorduras no sangue, dificultando a absorção das vitaminas A e D pelo organismo, o que pode causar urticária e dermatite.

Segundo a técnica e representante da Proteste, Juliana Dias, o ideal é trocar esta barrinha por frutas naturais ou desidratas ou nozes. "Esses alimentos são minimamente processados e, portanto, sofrem menos ação da indústria", explica.

Sopas instantâneas

Getty Images/iStockphoto

A sopa de saquinho é prática e parece saciar a fome, mas não são nada nutritivas. Em vez disse, elas vêm com alta quantidade de sódio e aditivos químicos. Apesar de algumas marcas anunciarem que o teor de sódio foi reduzido, basta olhar na embalagem que ele continua (bem) alto.

O excesso de sódio atua como fator de risco para o desenvolvimento ou agravamento da hipertensão arterial.

Suco de caixinha

tavan amonratanasareegul via Getty Images

Outro alimento que é referência em praticidade, mas possui doses cavalares de açúcar. Vai trocar o refrigerante por estes sucos? Outro erro, pois algumas marcas representam até a mesma quantidade de açúcares.

Segundo a Proteste, os sucos chamados de néctares de frutas contêm bem menos frutas do que o esperado para um suco. Juliana Dias explica que as melhores opções são suco natural, água ou suco feito com polpa de frutas.

Peito de peru

Foodcollection

Outra pegadinha comum para quem busca por uma alimentação mais saudável é o peito de peru fatiado. Apesar de ser um alimento pouco calórico em comparação às outras carnes e ser rico em proteína, o peito de peru é um embutido e, também, rico em sódio e outros aditivos como corantes e conservantes.

Para se ter ideia, duas fatias médias (porção de 40 gramas) pode conter até 500 mg de sódio -- o que representa 1/4 do valor diário recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS). A Proteste também realizou estudos e detectou substâncias químicas como nitritos e nitratos, relacionados ao aumento do risco de câncer.

Gelatina

Getty Images

Outro alimento recorrido para quem quer se alimentar bem é a gelatina. O problema é que ela não é tão saudável como parece: além de ser ultraprocessada, contém açúcares, conservantes aromatizantes e corantes.

Segundo a Proteste, o consumo de gelatina em excesso entre crianças pode levar ao desenvolvimento de alergias, hiperatividade, déficit de atenção, asma e problemas gástricos.

Cereais matinais

baibaz via Getty Images

Eles são práticos e são boas fontes de energia, mas também traz alto teor de açúcar e sódio. Dê preferência aos cereais integrais, mas vale conferir no rótulo os níveis de gorduras, açúcares e sódio antes de consumi-los.

Biscoito de água e sal

Getty Images/iStockphoto

Eles são o refúgio pra quem quer cortar pães, mas precisam ser consumidos com moderação. De acordo com Juliana Dias, da Proteste, os biscoitos de água e sal são pouco nutritivos e combinam trigo branco, gordura hidrogenada, açúcar e sal, além de aditivos químicos.

Bisnaguinhas

Apesar de serem queridinhas das crianças, elas têm altos teores de farinha branca, gordura hidrogenada, açúcar, sal e aditivos que comprometem a saúde e aumentam a obesidade.

"O consumidor deve ficar atento porque nem sempre o alimento que tem apelo saudável, é de fato saudável. A melhor opção é comparar com outros rótulos e, se possível, fazer mais refeições caseiras", finaliza Juliana Dias, da Proteste.

8 alimentos para consumir antes ou depois de malhar