NOTÍCIAS
13/12/2017 14:47 -02 | Atualizado 13/12/2017 14:47 -02

'PT confraterniza com golpistas e não aprendeu com seus erros', diz Ciro Gomes

O pré-candidato do PDT à Presidência ainda disse que 'Justiça boa é a rápida' sobre a celeridade do julgamento do ex-presidente Lula no TRF4.

Divulgação/PDT
"O PT não parece ter aprendido nada com os brutais erros que cometeu."

O pré-candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, está endurecendo cada vez mais o discurso contra o Partido dos Trabalhadores. Durante uma live no Facebook na noite desta terça-feira (12), o ex-governador do Ceará disse estar "muito inquieto" com o comportamento do PT, referindo-se à reaproximação do partido com o PMDB. Em agosto, o ex-presidente Lula acolheu o ex-presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB-AL) em sua caravana do Nordeste. Renan votou a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Quando passou por Minas Gerais, Lula disse que estava "perdoando os golpistas do País".

"O PT não parece ter aprendido nada com os brutais erros que cometeu. Porque estamos dizendo que o País está sob um golpe de estado. Portanto, se dizemos isso, temos que entender quem fez esse golpe. Quem fez foi o Senado. E quem era o presidente do Senado quando derrubaram a Dilma? Renan Calheiros. Então tudo bem, o Renan sempre foi muito parceiro do PT e ele o traiu. Agora o Lula vai fazer a caravana no Nordeste e quem a gente encontra abraçado ao Lula? Renan."

Ciro também criticou o apoio do PT à candidatura do Eunício Oliveira à Presidência do Senado mesmo após o senador ter votado a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff: "É razoável isso, gente?"

Para ele, Lula agiu com "descuido" e "assumiu risco brincando de popularidade" quando indicou Michel Temer para vice de Dilma, quando "todo mundo que está na política sabe quem Michel é há muitos anos". Ciro completa: "E querem o quê, que eu aceite tudo isso calado? Nós do PDT botamos para fora dois dos três senadores que nós tínhamos porque votaram a favor do golpe e agora o PT confraterniza com golpista. Assim não é possível."

O pré-candidato garante que tem a esperança de que o ex-presidente seja inocentado no processo do tríplex, agora no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, mas criticou a defesa de Lula no caso. "É importante que a gente preste atenção na defesa do presidente Lula de que foi muito rápida. Mas acho que a gente não pode inverter as coisas. Justiça boa é a rápida, ela falha quando demora". Ele se refere à data para o julgamento do processo, marcada para o dia 24 de janeiro de 2018. A condenação chegou ao Tribunal em 23 de agosto.

Quem são os presidenciáveis de 2018