VOZES

Giving Tuesday: Depois da gastança, a doação

O que você vai doar hoje?

28/11/2017 13:11 -02 | Atualizado 28/11/2017 13:12 -02
hyunah Kang via Getty Images
Esta terça-feira (28) é dia de doar.

Black Friday nem precisa de tradução; não há quem não conheça: informes repicam nas mais diversas plataformas prenunciando o dia, preparando promoções e bolsos, mundo afora, para as vendas.

Depois da gastança, que tal a doação?

Em consolidação na agenda nacional, o Dia de Doar é a versão brasileira da Giving Tuesday (terça-feira da doação), movimento criado pela organização 92Y, de Nova Iorque, e que já está em mais de 40 países para conscientizar as pessoas sobre a importância de doar. No Brasil, foi realizado pela primeira vez em 2013 e é organizado pelo Movimento por uma Cultura de Doação, coalização de organizações e indivíduos para promover a cultura de doação no país.

Henry Timms, o idealizador do Giving Tuesday, defende que uma das diretrizes do Dia de Doar é criar um movimento que transforme doadores em atores de mobilização social. As antigas campanhas de doação estabeleciam regras claras sobre como você deveria participar; hoje, o caminho para o engajamento é dar poder de decisão a cada um dos indivíduos e comunidades para que façam as ações como querem e não como nós queremos.

Como poucas, esta campanha reflete questões contemporâneas da economia circular, do compartilhamento, da abundância, entre tantas novas terminologias que estão mudando a forma de fazer negócios e apoiar o próximo com sustentabilidade, respeito e eficiência. Seu diferencial está em ser orgânica: estimula outras inúmeras campanhas e potencializa resultados de forma exponencial devido a dois fatores: a centralidade da mensagem e à descentralidade de sua apropriação e multiplicação. Assim, OSCs (Organizações da Sociedade Civil), governo, captadores, doadores, voluntários, influenciadores, imprensa entre outros públicos de interesse tem um mesmo repertório (visual, discursivo, ferramental) para multiplicar e adaptar da forma como considerarem mais conveniente. Tudo preparado para download e disponibilizado em diadedoar.org.br.

No Brasil, onde o entendimento sobre o que é doar traz múltiplas conotações (inclusive distorcidas e vinculadas a práticas ilícitas), a campanha tem dupla missão: nortear e acelerar. Nortear é o propósito: dar uma direção, informar as pessoas de forma eficiente mostrando que existe um movimento internacional com cases de sucesso e um legado comprovado de transformação da sociedade. E acelerar representa o ritmo: alta velocidade, envolvendo cada vez mais pessoas de forma a viabilizar a mudança de mind set no melhor tempo possível, conquistando mentes e corações para uma cultura que, em um mundo de consumo desenfreado e acúmulo de supérfluos, precisa urgentemente ganhar visibilidade.

Fica a reflexão: a doação precisa vir depois da gastança? Não pode vir antes, e sempre? Traduzindo: 28 de novembro vem aí. Faça a diferença.

*Esta publicação é de autoria de colaboradores ou articulistas do HuffPost Brasil e não representa ideias ou opiniões do veículo. Mundialmente, o HuffPost oferece espaço para vozes diversas da esfera pública, garantindo assim a pluralidade do debate na sociedade.