ENTRETENIMENTO

Conheça a Spcine Play, plataforma de streaming focada em filmes brasileiros

Nova tela é fruto de um consórcio formado pela a Spcine, O2 Filmes e Hacklab.

24/11/2017 23:45 -02 | Atualizado 25/11/2017 10:07 -02
Divulgação
Documentário 'Batalha do Passinho' é um dos destaques da nova plataforma de vídeo sob demanda.

Quem é amante de filmes brasileiros tem um novo motivo para comemorar.

Desde a última quinta-feira (23) está no ar a Spcine Play, plataforma de vídeo sob demanda voltada exclusivamente para a difusão do cinema nacional.

Ela é fruto de um consórcio público-privado formado pela a Spcine (empresa da Prefeitura de São Paulo), a O2 Filmes e o laboratório de soluções digitais Hacklab.

Ao acessar o endereço spcineplay.com.br, o usuário é convidado a fazer um cadastro gratuito e, na sequência, tem acesso a um catálogo inicial de dez longas nacionais em formato streaming.

Entre os títulos, estão: Mãe Só Há Uma, de Anna Muylaert; O Menino e Mundo, de Alê Abreu; Califórnia, de Marina Person; e Para Todos, de Marcelo Mesquita.

O aluguel de cada filme custa R$ 3,90. O usuário paga com cartão de crédito e tem até sete dias para assistir à produção.

Nesta semana, o secretário municipal da Cultura, André Sturm, explicou que a plataforma aposta em um catálogo diversificado, "com filmes de diferentes gêneros e formatos, para estimular o público a consumir produções brasileiras, dando acesso a títulos muitas vezes restritos ao circuito de salas de grandes cidades".

Sturm ressaltou que a plataforma surge também como uma resposta ao monopólio da indústria norte-americana no setor audiovisual. E chegou a citar a Netflix, uma das gigantes do mercado.

"A gente não pode permitir que algo que tem a possibilidade de ser uma plataforma relevante para a indústria do audiovisual se torne mais um monopólio, como já aconteceu no mercado de cinema e no de TV a cabo. A perspectiva de que isso [o monopólio] aconteça é grande, mas a gente vai trabalhar para que não aconteça."

Divulgação
Título que representou o Brasil no Oscar 2016, 'O Menino e o Mundo' é um dos títulos do catálogo inicial do Spcine Play.

O lançamento da Spcine Play vem acompanhado de uma estratégia que pretende tornar a plataforma financeiramente viável e atrativa para realizadores.

"O produtor que apostar na plataforma será naturalmente recompensado com o sucesso do projeto. Além disso, não vamos exigir exclusividade pela licença de exibição e haverá compartilhamento das estatísticas de audiência", afirmou Igor Kupstas, da O2 Play.

"A plataforma ainda vai valorizar o filme em termos de conteúdo, como a apresentação dos destaques e informações e conteúdos complementares da obra", completou.

Kupstas conta que o foco da plataforma na fase de testes, que compreende os próximos seis primeiros meses, será a exibição de longas-metragens, mas não descarta séries de TV e curtas brasileiros.

Os planos futuros também incluem o acréscimo de outras duas faixas de preço. O aluguel de um lançamento custará R$ 6,90; filme de catálogo sairá por R$ 3,90; e será cobrado R$ 1,90 para conteúdos em promoção.

Existe ainda uma abertura para exibição custeada por empresas. No modelo chamado AVOD (Advertising Video on Demand), a companhia patrocina o conteúdo e o usuário assiste ao filme de graça, além de uma breve propaganda da empresa.

Veja a lista de filmes disponíveis no catálogo da Spcine Play:

Lira Paulistana e a Vanguarda Paulista (2013), de Riba de Castro

O Menino e o Mundo (2013), de Alê Abreu

A Batalha do Passinho (2013), de Emílio Domingos

De Menor (2014), de Caru Alves de Souza

As Fábulas Negras (2014), de Rodrigo Aragão, Petter Baiestorf, Joel Caetano e José Mojica Marins

Ausência (2015), de Chico Teixeira

Califórnia (2015), de Marina Person

Mãe É uma Só (2016), de Anna Muylaert

Para Todos (2016), de Marcelo Mesquita

Uma Noite em Sampa (20016), de Ugo Giorgetti

7 avós inesquecíveis do cinema